O ministro do Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira, afirmou hoje (23) que é preciso investir em transporte não motorizado, como bicicletas, para melhorar a mobilidade nas grandes cidades brasileiras. Segundo ele, ampliar a infraestrutura de ciclovias pode ser uma opção para municípios como São Paulo.

“Resolver o problema da mobilidade urbana de São Paulo, por exemplo, pressupõe você fazer obra enterrada ou aérea. Você não tem mais a possibilidade de adotar outra solução. Então investir em soluções não motorizadas dá muito certo. Em Amsterdã, Paris e Londres, as pessoas andam tranquilamente de bicicleta. Mas tem infraestrutura para isso. A gente tem que apoiar esse tipo de investimento”, explicou Ferreira, em entrevista ao programa A Voz do Brasil.

As duas maiores cidades do país já têm suas malhas cicloviárias. São Paulo tem cerca de 700 quilômetros de vias para bicicletas. Já o Rio tem cerca de 470 km. Ambos municípios têm projetos para ampliar suas redes. A capital paulista quer chegar a 1.800 km até 2028, enquanto o Rio prevê superar os 600 km até 2029 (segundo plano divulgado em 2021).

Notícias relacionadas:

As duas maiores cidades do país já têm suas malhas cicloviárias. São Paulo tem cerca de 700 quilômetros de vias para bicicletas. Já o Rio tem cerca de 470 km. Ambos municípios têm projetos para ampliar suas redes. A capital paulista quer chegar a 1.800 km até 2028, enquanto o Rio prevê superar os 600 km até 2029 (segundo plano divulgado em 2021).

“Ampliar a mobilidade urbana nas cidades muda não só a dinâmica das famílias, como muda dinâmicas econômicas. Se você tem serviços de entrega, o escoamento de produtos passa ser mais eficiente. Se o deslocamento para o trabalho é mais rápido, a pessoa é mais produtiva e volta pra casa mais feliz”, disse o ministro.

Tags:
bicicletas | Cidades | desenvolvimento regional | Geral | Mobilidade | mobilidade urbana