SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governo estadual inaugurou, nesta quinta-feira (24), sua primeira delegacia especializada em investigar fraudes documentais e biométricas, na Luz, centro de São Paulo.

Por ora, de acordo com a SSP (Secretaria da Segurança Pública), o distrito irá apurar crimes ocorridos na capital paulista.

Criada por meio de um decreto, de 21 de junho deste ano, a delegacia pretende esclarecer crimes em que documentos, como RG e CPF, são fraudados por criminosos. A unidade está instalada na sede do IIRGD (Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daunt).

"Conforme a tecnologia avança, os criminosos buscam ferramentas para fraudar o sistema, então é importante ter uma delegacia para estes crimes. É uma unidade de investigação especializada para aquelas pessoas que tentam burlar os nossos avanços com fraudes documentais ou biométricas e São Paulo sempre foi pioneiro nesses avanços", afirmou, durante a inauguração, o secretário-executivo da Polícia Civil, Youssef Abou Chahin.

Segundo a SSP, desde 2015 as biometrias são inseridas em um sistema chamado de Afis, usado para comparar uma impressão digital com impressões previamente arquivadas, no banco de dados do sistema.

A inauguração contou com a presença do governador Rodrigo Garcia (PSDB), do delegado-geral, Osvaldo Nico Gonçalves, e de autoridades da Segurança Pública paulista.

Subordinada ao Departamento de Inteligência da Polícia Civil, a delegacia começou seus trabalhos, já nesta quinta, na avenida Casper Líbero.