CURITIBA, PR (UOL/FOLHAPRESS) - Uma confusão envolvendo um policial militar e uma travesti foi gravada por câmeras de segurança de um motel, que flagrou cenas de agressões físicas e até um tiro disparado dentro do estabelecimento de Curitiba (PR). O caso aconteceu na madrugada do último domingo (22) e terminou com a arma do PM roubada.

As imagens foram registradas por volta de 00h55 e mostram a entrada de um fox vermelho na área do estacionamento do local. A travesti que estava no lado do carona desce e vai até a recepção do motel, que fica no bairro Boqueirão, na capital paraense.

"Ela chegou meio alterada e disse que queria um quarto. Saiu e voltou depois perguntando se a gente podia sacar a quantia de R$ 200 reais para ela. Explicamos que não, mas enquanto isso ela já voltou pro carro e começou a discutir com o rapaz que estava dirigindo o veículo, não entendemos nada", contou uma funcionária, de 36 anos, que pediu para não ser identificada.

O vídeo mostra ainda o motorista -apontado como um policial militar de 48 anos- saindo do automóvel, acompanhado de um outro homem, que não participa da briga. Após ter a arma apontada contra si, a investigada aplica uma voadora no homem e seguem em luta corporal, quando um tiro é disparado, mas não atinge nenhum dos dois. O agente acaba pressionado contra uma parede e o carro e perde a arma para a suspeita, que vai embora do local a pé.

O policial e o amigo entram no carro e tentam localizá-la em seguida, sem sucesso. A proprietária do motel chegou a acionar a PM para relatar a ocorrência. Os militares chegaram a fazer uma ronda na região, mas ninguém foi encontrado.

Em nota, a corporação informou que já identificou o policial militar e que a arma utilizada e, posteriormente, roubada, é da corporação e foi recuperada horas após o ocorrido. "A PMPR instaurou um procedimento administrativo para apurar a possibilidade de transgressão disciplinar e cometimento de crime militar", informou o órgão à reportagem.

POLICIAL SERÁ OUVIDO

Um inquérito policial foi aberto nesta segunda-feira (23), para investigar o caso e ficará sob a responsabilidade do delegado Nasser Salmen, do 7º Distrito Policial em Curitiba. Em entrevista à reportagem, o titular informou que o carro estaria registrado no nome de um policial, mas ainda não poderia confirmar se era ele realmente na condução do veículo.

"Estando verificando todas as imagens, mas não sabemos se era realmente o PM ali na situação. Amanhã vamos ouvir a dona do motel e também o policial militar para esclarecermos todo o caso. Estamos buscando também a localização da travesti e também do outro rapaz que estava no carro para ouvi-los".

O delegado ainda afirmou que, nessa situação, serão investigados dois crimes. O de disparo de arma de fogo e também o de roubo da arma. "Está mais que visível o uso da violência nesse caso. Vamos apurar os crimes de disparo de arma de fogo e também o de roubo mediante a violência. Ela subtrai a arma, sai do local com ela", completou o delegado.

Segundo apurado pelo reportagem, o militar é alocado no Batalhão de Polícia de Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone), grupo de elite da PM no Paraná.