• Assinantes
  • Saúde
    Amanda Beloti Amanda Beloti 29/09/2015

    Entorse de tornozelo – Sintomas e tratamento

    Olá,internautas! Hoje vou falar sobre um "acidente" bem frequente, o entorse de tornozelo, que é responsável por 85% das lesões nesta articulação. Primeiramente, vamos ver como é um tornozelo saudável: a articulação do tornozelo é formada pela união de três ossos: tíbia, fíbula e tálus. Os demais ossos do pé, ilustrados abaixo, formam outras articulações.

    O tornozelo e o pé tem suas articulações protegidas por diversos ligamentos, como mostrado na figura abaixo, mas três são mais importantes na estabilização lateral do tornozelo: Ligamento Talofibular Anterior, Ligamento Talofibular Posterior e Ligamento Calcâneofibular.

    De forma mais resumida, para uma melhor visualização:

    Nosso foco é nestes três ligamentos laterais, pois são eles os que sofrem lesão no mecanismo mais comum de entorse de tornozelo: o trauma em inversão (virando o pé para dentro). Neste trauma, um ou mais ligamentos podem ser acometidos.

    A entorse pode ser classificada em 3 graus, conforme a gravidade da lesão:

    • Grau I = dor, com dano mínimo ao ligamento.
    • Grau II = porção maior do ligamento é danificada, o que gera leve frouxidão na articulação.
    • Grau III = ruptura completa do ligamento, deixando a articulação muito instável.

    Os sintomas da entorse são:

    • Dor contínua e localizada, variando de suave a intensa, independente da descarga de peso sobre o pé machucado.
    • Edema (inchaço)
    • Equimose (mancha na pele, de coloração variável, produzida por extravasamento de sangue)
    • Impossibilidade de movimentar o tornozelo

    Nesta imagem notamos o inchaço e a equimose (hematoma)

    Ocorrida a lesão, o paciente deve procurar um hospital ou uma clínica, para que médicos especializados examinem e determinem grau de acometimento dos ligamentos, com a ajuda de exames complementares (como raios-x e ressonância nuclear magnética – RNM).

    Em todos os graus é necessário um período de repouso, com possível uso de talas imobilizadoras ou imobilizações gessadas, conforme orientação médica. Estas talas devem ser usadas 24 horas por dia, retirando-as somente para a realização de compressa de gelo e banho. As compressas de gelo devem ser feitas na face anterior do tornozelo (a parte da frente) por 20 minutos, 4 vezes ao dia. Deve-se envolver a bolsa de gelo em uma toalha para evitar queimaduras. Associado ao gelo, a elevação do pé acometido é eficaz na drenagem do inchaço e alívio da dor.

    Robofoot – bota imobilizadora que permite fácil retirada para banho e compressa de gelo

    Local da aplicação de compressa de gelo – na frente do tornozelo

    O médico ficará encarregado, também, de prescrever as medicações corretas (antiinflamatórias ou analgésicas), que devem ser tomadas conforme orientação. A fisioterapia motora é extremamente importante e deve ser iniciada o mais breve possível, para que haja uma reabilitação adequada e retorno às atividades normais do paciente. A fisioterapia bem executada, com um profissional competente, pode evitar uma futura intervenção cirúrgica. O objetivo do fisioterapeuta será alívio de dor, redução do edema, recuperação da sensibilidade normal do tornozelo, recuperação da marcha sem mancar e descarga de peso confiante sobre o pé afetado, fortalecimento muscular para reforçar a estabilidade articular, além da prevenção de novas entorses (o que é muito frequente!).

    A recuperação depende da idade do paciente, do seu estado geral de saúde (algumas doenças podem atrasar a cicatrização), da gravidade da lesão, da existência de lesões prévias naquela articulação e da força de vontade do paciente, de seguir todas as recomendações médicas e fisioterápicas. A ansiedade pode levar a um retorno precoce, o que por sua vez pode agravar a lesão, deixando danos permanentes. Todos se recuperam de lesões em velocidades diferentes e, por isso, para retomar a vida normal não existe um tempo exato.

    Na próxima coluna, falarei sobre Tendinopatia dos músculos fibulares, que pode ocorrer também como complicação de uma entorse de tornozelo! Até lá e obrigada pela leitura!


    Amanda Beloti é fisioterapeuta graduada em 2009 pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Cursa Especialização em Fisioterapia Traumato-Ortopédica pela mesma instituição. Instrutora Internacional de Pilates pela Pilates Plus (autorizada pela Associação Norte-Americana de Pilates). Sócia-proprietária do Consultório de Fisioterapia e Pilates STUDIO A. Saiba mais.

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.