Quinta-feira, 15 de janeiro de 2009, atualizada às 18h25

Acidentes com animais peçonhentos aumentam com tempo quente e úmido


Priscila Magalhães
Repórter
Madalena Fernandes
Revisão

Durante o verão, quando a temperatura é mais elevada e o tempo mais úmido, a incidência de acidentes com animais peçonhentos é maior que nas outras épocas do ano.

O veterinário do setor de Zoonoses da Secretaria de Saúde, José Geraldo de Castro Júnior, explica que, no verão, a reprodução das espécies se torna mais intensa. A tendência é que animais como serpentes, aranhas, escorpiões e lagartas saiam mais à procura de alimentos. "Então, é maior a chance de terem contato com os homens." Além disso, as enxurradas desalojam os animais, que passam a procurar outros locais.

O veterinário explica que a ocupação desordenada, a falta de cuidado com o lixo, com lotes vagos e material de construção são fatores que contribuem para aumentar o risco de acidentes. "Eles vivem onde há água, comida e abrigo. Então, locais com lixo acumulado podem favorecer o aparecimento."

Para evitar, devem-se manter lotes vagos cercados, lixo fechado, suspenso e com destinação correta, além de manutenção de quintais, com a grama sempre cortada. Outra medida seria tapar os ralos de pias e banheiros, pois os escorpiões vivem na rede de esgoto. José Geraldo alerta que os moradores de regiões próximas a pedreiras, redes de esgoto desativadas e residências antigas devem ficar atentos. "Os escorpiões vivem em locais quentes, úmidos e protegidos do sol."

Já as serpentes são mais comuns em bairros com características rurais, com muita grama, pasto e criação de animais. "A ração que alimenta os animais atrai roedores, que servem de alimento para as serpentes", explica o veterinário. Segundo ele, os acidentes acontecem mais com a jararaca e a cascavel.

Em caso de acidente, a orientação de José Geraldo é para procurar o Setor de Soroterapia e Profilaxia da Raiva Humana do Hospital de Pronto Socorro (HPS), onde haverá avaliação e, se necessário, aplicação de soro. De acordo com a assessoria do HPS, o maior número de atendimentos em 2008 ocorreu por acidentes com escorpiões, com 56 registros, seguido por aranhas (48) e serpentes (46).

Animal Número de atendimentos em 2006 Número de atendimentos em 2007 Número de atendimentos em 2008
Escorpião 69 atendimentos 35 atendimentos 56 atendimentos
Aranha 72 atendimentos 70 atendimentos 48 atendimentos
Acidente ofídico 44 atendimentos 44 atendimentos 46 atendimentos
Abelhas 4 atendimentos 4 atendimentos 4 atendimentos
Lagarta 11 atendimentos 6 atendimentos 12 atendimentos
Serpentes não peçonhentas 6 acidentes 3 atendimentos 10 atendimentos
Lacraias 2 atendimentos 2 atendimentos -
Marimbondos 2 marimbondos - -
Outros (espécie não identificada) Sem dados Sem dados 26 atendimentos
Ignorado (desconhece o animal agressor) 25 atendimentos 12 atendimentos 19 atendimentos

Fonte: HPS

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.