Tendinite da 'pata de ganso': saiba como tratar

Amanda Beloti Amanda Beloti 5/11/2018

Olá pessoal!

Hoje vou falar um pouco de uma condição que acomete muitas pessoas, a “tendinopatia de pata de ganso”.

A “pata de ganso” nada mais é do que a união da inserção dos músculos grácil, sartório e semitendíneo e leva esse nome por se assemelhar a uma pata de ave.


Essa inserção fica na tíbia, na parte interna do joelho e a dor da inflamação desses tendões, a tendinopatia da pata de ganso, é sentida no seguinte ponto:

O diagnóstico é feito pelo ortopedista ou reumatologista seguindo o conjunto de sintomas que o paciente relata, podendo ser confirmado por exames complementares como ressonância nuclear magnética e ultrassom.

Os principais sintomas são

  • Dor na região interna do joelho à palpação
  • Dor na região interna do joelho para subir e descer escadas
  • Dor na região interna do joelho ao caminhar
  • Do ao se levantar, após permanecer muito tempo sentado
  • Inchaço (edema) na região, podendo ficar quente e vermelha

           

    As principais causas

    • Desalinhamento postural – várias alterações posturais podem levar a inflamação destes 3 tendões. Estas alterações são complexas para serem descritas em tão poucas palavras, mas, em suma, uma pelve mal posicionada leva a uma compensação de rotação do fêmur (osso da coxa), que vai refletir nos joelhos e na maneira que estes tendões vão ficar – eles serão de certa forma sobrecarregados e estarão em posição desvantajosa para gerar força. Ou podem ficar estirados, gerando rompimento de fibras frequentes, estando também em posição desvantajosa para gerar força.
    • Ainda dentro do desalinhamento postural, mas agora envolvendo deformidades de joelhos – joelho varo ou joelho valgo
    • Pisada errada – tanto pé pronado quanto pé supinado
    • Obesidade
    • Treinamento excessivo, com peso demasiado para a capacidade muscular
    • Treinamento realizado da forma errada, sem supervisão de um profissional que verifique o alinhamento das articulações
    • Treinamento excessivo de corridas em subidas
    • Sobrecarga por esforço repetitivo
    • Consequências de lesões de menisco
    • Falta de pareamento de forças musculares (se um músculo fizer mais força que seu antagonista, ou seja, que seu par oposto, isso pode gerar sobrecarga e consequências na inserção dos tendões).

    O tratamento, inicialmente, pode envolver uso de anti-inflamatórios prescritos pelo médico responsável, repouso e compressas de gelo. Mas isso trata a consequência, e não a causa.

    Portanto, é sempre importante procurar um fisioterapeuta para uma avaliação postural completa – não só do joelho, porque a causa pode estar no pé ou na pelve, por exemplo! – para correção das alterações, trabalhando força e alongamento da maneira correta, sem que gere mais lesão, sempre supervisionada.

    Pode ser necessária a confecção de uma palmilha para corrigir alguma alteração de pisada. Aos poucos,com essas correções e com as reduções dos sintomas, o fisioterapeuta pode liberar o paciente para voltar a correr ou caminhar, gradualmente e de maneira vigiada, para que a inflamação não ocorra novamente.

    Por isso, a adesão do paciente ao tratamento é tão importante para o sucesso do resultado!

    Obrigada pela leitura e até a próxima!

Imagens:
corrernacidade.com/
researchgate.net
ortopcuritiba.com.br/

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.