A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) informou na manhã desta quinta-feira, 30, que o caso notificado como suspeito para varíola dos macacos na cidade apresentou resultado negativo, após análise de exame laboratorial. Ele foi divulgado em boletim enviado à imprensa, pela Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) na quarta-feira, 29. Ainda, conforme o informe da SES-MG, o primeiro caso confirmado laboratorialmente, em Minas Gerais, é da cidade de Belo Horizonte. O exame foi liberado na quarta, 29, pelo Ministério da Saúde.

O caso confirmado trata-se de paciente do sexo masculino, 33 anos, que esteve na Europa no período entre 11 e 26/06/2022. A investigação confirmou que é um caso importado. O paciente está estável, em isolamento domiciliar. "Os pacientes estão sendo monitorados e até o momento não houve identificação de caso secundário", informou a assessoria da SES-MG, em nota.

Já foram notificados no sistema Redcap do Ministério da Saúde 12 casos suspeitos de monkeypox em Minas, dos quais oito foram descartados laboratorialmente. Atualmente há três casos em investigação, sendo um deles registrado em Juiz de Fora. Os outros dois são em Varginha e Pará de Minas.

Segundo a SES-MG, até o momento, os casos suspeitos não têm histórico de deslocamentos ou viagens para o exterior. Dentre os contatos próximos, ainda não há nenhum caso sintomático. Apenas o caso confirmado do município de Belo Horizonte teve deslocamento para o exterior.

Brasil

O número de casos de varíola dos macacos (monkeypox) no Brasil chega a 37, segundo informações do Ministério da Saúde e da Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro. A secretaria confirmou ontem o sexto caso no estado. Agora, são cinco ocorrências na capital e uma na cidade de Maricá, no Grande Rio.

Segundo o Ministério da Saúde, São Paulo tem 28 casos confirmados. Somando-se os dois registros do Rio Grande do Sul e os do Rio e de Minas, o Brasil chega a 37 casos.

Atualizada às 11h04