Sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008 atualizada às 18h28

Trotes prejudicam atendimento do Resgate e Samu Samu de JF continua recebendo cerca de seis mil trotes por mês. Até fevereiro, o 4º BBM/JF recebeu 12 trotes e no ano passado foram mais de mil ao todo



Sílvia Zoche
Subeditora
Renata Solano
*Colaboração

Mesmo com campanha nacional para conscientizar a população sobre os problemas causados pelos trotes, eles continuam acontecendo com alta freqüência. Segundo o subsecretário da Secretaria de Saúde, Saneamento e Desenvolvimento Ambiental de Juiz de Fora (SSSDA), José Sebastião Pedrosa, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) recebe entre cinco e seis mil trotes por mês, a mesma média do ano passado.

Em 2007, foram 91.414 chamadas recebidas e, dessas, 65.818 foram telefonemas considerados como trote, uma média entre cinco mil e seis mil trotes por mês. Segundo assessoria da SSSDA, o volume de ligações com brincadeiras ou avisos falsos aumenta durante as férias, porque algumas crianças e adolescentes usam o telefone para fazer brincadeiras de mau gosto.

Em Juiz de Fora, existem três estruturas que fazem atendimento de urgência e emergência, o Samu, o Resgate e o Hospital de Pronto Socorro (HPS). O Samu possui cinco ambulâncias do Samu, quantidade definida pelo Ministério da Saúde de acordo com a número de habitantes na cidade, e nove auxiliares que pertencem ao serviço público municipal, segundo Pedrosa. "As pessoas têm que entender que enquanto o telefone está ocupado com o trote, deixamos de atender alguém. Temos mais de 200 chamadas por dia", afirma Pedrosa.

Caminhão 
do Corpo de Bombeiros O Resgate do Corpo de Bombeiros da cidade recebe um número menor, mas tão prejudicial quanto os do Samu. Do dia 1º de janeiro até o dia 15 de fevereiro, o 4º Batalhão de Bombeiro Militar de Juiz de Fora (4º BBM) já computou 12 ligações falsas, em sua área de atuação, o que significa uma média de 3,75 trotes por dia.

O Batalhão é responsável por 125 municípios da Zona da Mata e Campos das Vertentes, possuindo quartéis em Juiz de Fora (sede), Ubá, Muriaé, São João del Rei e Barbacena

Segundo o assessor de comunicação social do Batalhão, Capitão Santiago, foram mil quinhentos e quinze trotes para a corporação. "Estas ligações comprometem o trabalho. Fazemos triagens das ligações, mas existem algumas ligações de urgência que temos que sair logo", diz o capitão, que ainda lembra que estas saídas deslocam, muitas vezes, três a cinco viaturas, "que consomem mais recursos".

Estas ligações falsas "adormecem o sentido de urgência dos bombeiros que os recebem, prejudica a confiança que a comunidade tem pela corporação", diz o capitão. Nestes casos, o Corpo de Bombeiros podem "prender pessoas que estejam abusando do direito de cidadão em relação a prestação de serviço público". Capitão Santiago também informa que existem dois tipos penais no Código Penal Brasileiro que a pessoa pode ser presa e autuada: interrupção ou perturbação de serviço telegráfico ou telefônico, pelo artigo 266; e comunicação falsa de crime ou de contravenção, pelo artigo 340.

  • Art. 266 - Interromper ou perturbar serviço telegráfico, radiotelegráfico ou telefônico, impedir ou dificultar-lhe o restabelecimento:
    Pena - detenção, de 1 (um) a 3 (três) anos, e multa.
    Parágrafo único - Aplicam-se as penas em dobro, se o crime é cometido por ocasião de calamidade pública.
  • Art. 340 - Provocar a ação de autoridade, comunicando-lhe a ocorrência de crime ou de contravenção que sabe não se ter verificado:
    Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.

Fonte: 4º BBM

Atendimento do Resgate e do Samu

Algumas pessoas ainda têm dúvida sobre quem chamar em casos de urgência e emergência. Samu ou Resgate? Muitas vezes, como comenta Pedrosa, os dois comparecem ao local do acidente. "O Samu seria para atender somente casos de risco de vida, principalmente, de acidentes e até casos de apoio aos bombeiros", diz o subsecretário da SSSDA.

Em quais situações Samu e Resgate devem ser acionados:*

  • Acidentes de automóveis
  • Trabalho de parto
  • Vítimas de agressão, como pessoas baleadas, esfaqueadas ou espancadas
  • Casos clínicos, entre os quais, pessoas com convulsões e sintomas de enfarte e derrame
  • Intoxicação ou queimaduras
  • Pacientes portadores de transtornos mentais que estejam em crise

Nunca chamar o socorro:

  • Vítimas de embriaguez
  • Pessoas que necessitem de transporte para consultas, exames, fisioterapia, hemodiálise e outros atendimentos que não sejam emergenciais
  • Para fazer reclamações, dar sugestões ou fazer denúncias
  • Para passar trotes, informações falsas ou para conversar
  • Pedir informações sobre outros serviços, instituições ou empresas

* O Resgate do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais atende prioritariamente ocorrências que envolvam trauma (vítimas de quedas, acidentes automobilísticos, desabamento, soterramento, inundação, afogamento, acidentes ferroviários, com embarcações ou aeronaves, entre outros). O Corpo de Bombeiros também atende a vítimas de emergências clínicas (parturiente, convulsões, infarto agudo do miocárdio, queimaduras, envenenamento, entre outros).

Fonte: Samu e 4º BBM/JF

*Renata Solano é estudante de Comunicação Social da UFJF

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.