Terça-feira, 23 de junho de 2009, atualizada às 17h

Polícia Civil de Juiz de Fora prende suspeito de golpes avaliados em cerca de R$ 80 mil

Da Redação

Um funcionário público municipal de 30 anos, suspeito de praticar diversos golpes avaliados em cerca de R$ 80 mil, foi preso pela Polícia Civil (PC) na última segunda-feira, 22 de junho. Ele foi surpreendido pelos policiais enquanto tentava abrir uma conta corrente numa agência bancária, no bairro Santa Terezinha. Uma das vítimas encontrou com o funcionários no local e acionou a 4ª Delegacia Distrital (DD) de Juiz de Fora. A autuação foi em flagrante por falsidade ideológica e uso de documento falso, sendo encaminhado ao Ceresp local.

Outras pessoas podem ter sido lesadas. Acredita-se também que o documento de identidade apresentado como verdadeiro também possa ser falso. As vítimas identificadas serão ouvidas ainda nesta semana, ocasião em que farão também o reconhecimento do suspeito.

Foram encontrados com o funcionário público vários documentos falsificados, entre eles três CPFs, carteiras de identidade, certidões de nascimento, carteiras de trabalho, talões de cheques, cartões de banco, contracheques e outros. Três nomes falsos eram utilizados: Mauro Lúcio Pinheiro, Lúcio Mauro Levenstein e Mauro Levenstein, segundo os documentos apreendidos.

O homem foi identificado por um comerciante, do qual adquiriu um computador portátil pela quantia de R$ 4 mil, parcelada através de cheques com nome falso, sendo que o comerciante ainda não havia recebido o valor da compra. A vítima estava com um desses documentos no momento da prisão. O cheque foi apreendido.

Durante a ação, também foi apreendido um veículo Gol, modelo 2009, adquirido mediante fraude numa concessionária, localizada na mesma rua da agência bancária em que foi preso. O carro foi financiado no mês passado e avaliado em cerca de R$ 30 mil.

As investigações apontam que o funcionário atuava nas regiões Sul, Oeste, Central e Nordeste. Ele comprava produtos variados, tais como computadores, celulares, roupas, eletrodomésticos, entre outros, tudo com documentos adulterados. Além disso, responde a um inquérito na 4ª DD por suspeita de comprar joias de uma comerciante, também mediante fraude.

Os textos são revisados por Madalena Fernandes

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.