Sexta-feira, 4 de setembro de 2015, atualizada às 11h29

Polícia Civil desarticula quadrilha que vendia drogas sintéticas em Juiz de Fora

A Delegacia Especializada Antidrogas da Polícia Civil de Juiz de Fora desmantelou, na tarde da última quinta-feira, 3 de setembro, uma quadrilha especializada em tráfico de drogas sintéticas na cidade. Um homem de 40 anos, apontado como distribuidor, foi preso.

Ao todo, foram localizados mais de 1200 "pontos" de LSD, e pequenas porções de cocaína, cogumelos alucinógenos, maconha, haxixe e ecstasy. O delegado Rogério Woyame deu detalhes sobre o caso. "Esse tipo de droga envolve pessoas de classe média, média-alta, e universitários na cidade. A equipe levantou informações em 40 dias e conseguimos encontrar um esquema de distribuição. As drogas eram revendidas em boates, em festas na Zona Sul e festas universitárias. Ontem demos cumprimento ao mandado de busca e apreensão, e conseguimos prender um suspeito com mais de 200 "pontos" de LSD. Em seguida, fomos a casa do fornecedor dele e encontramos mais drogas e materiais utilizados para "batizar" o entorpecente. Só o LSD está avaliado em R$ 36 mil", conta.

Woyame explica que a cocaína apresentava uma característica distinta. "Não é uma novidade, mas é incomum. A droga estava embalada a vácuo, e isso não chama atenção de cães farejadores e de policiais", comenta. O homem apontado como distribuir das drogas, 27, já foi identificado, apesar de usar uma carteira de identidade falsa. Ele é estudante de engenharia elétrica na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e está foragido. "Nós tentamos localizar os outros dois distribuidores desta quadrilha, mas certamente o esquema está desmontado. Nós desarticulamos toda a entrada dessa droga sintética na cidade", conclui o delegado.

Sexta-feira, 4 de setembro de 2015, atualizada às 11h29

Polícia Civil desarticula quadrilha que vendia drogas sintéticas em Juiz de Fora

A Delegacia Especializada Antidrogas da Polícia Civil de Juiz de Fora desmantelou, na tarde da última quinta-feira, 3 de setembro, uma quadrilha especializada em tráfico de drogas sintéticas na cidade. Um homem de 40 anos, apontado como distribuidor, foi preso.

Ao todo, foram localizados mais de 1200 "pontos" de LSD, e pequenas porções de cocaína, cogumelos alucinógenos, maconha, haxixe e ecstasy. O delegado Rogério Woyame deu detalhes sobre o caso. "Esse tipo de droga envolve pessoas de classe média, média-alta, e universitários na cidade. A equipe levantou informações em 40 dias e conseguimos encontrar um esquema de distribuição. As drogas eram revendidas em boates, em festas na Zona Sul e festas universitárias. Ontem demos cumprimento ao mandado de busca e apreensão, e conseguimos prender um suspeito com mais de 200 "pontos" de LSD. Em seguida, fomos a casa do fornecedor dele e encontramos mais drogas e materiais utilizados para "batizar" o entorpecente. Só o LSD está avaliado em R$ 36 mil", conta.

Woyame explica que a cocaína apresentava uma característica distinta. "Não é uma novidade, mas é incomum. A droga estava embalada a vácuo, e isso não chama atenção de cães farejadores e de policiais", comenta. O homem apontado como distribuir das drogas, 27, já foi identificado, apesar de usar uma carteira de identidade falsa. Ele é estudante de engenharia elétrica na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e está foragido. "Nós tentamos localizar os outros dois distribuidores desta quadrilha, mas certamente o esquema está desmontado. Nós desarticulamos toda a entrada dessa droga sintética na cidade", conclui o delegado.

-
Sexta-feira, 4 de setembro de 2015, atualizada às 11h29

Polícia Civil desarticula quadrilha que vendia drogas sintéticas em Juiz de Fora

A Delegacia Especializada Antidrogas da Polícia Civil de Juiz de Fora desmantelou, na tarde da última quinta-feira, 3 de setembro, uma quadrilha especializada em tráfico de drogas sintéticas na cidade. Um homem de 40 anos, apontado como distribuidor, foi preso.

Ao todo, foram localizados mais de 1200 "pontos" de LSD, e pequenas porções de cocaína, cogumelos alucinógenos, maconha, haxixe e ecstasy. O delegado Rogério Woyame deu detalhes sobre o caso. "Esse tipo de droga envolve pessoas de classe média, média-alta, e universitários na cidade. A equipe levantou informações em 40 dias e conseguimos encontrar um esquema de distribuição. As drogas eram revendidas em boates, em festas na Zona Sul e festas universitárias. Ontem demos cumprimento ao mandado de busca e apreensão, e conseguimos prender um suspeito com mais de 200 "pontos" de LSD. Em seguida, fomos a casa do fornecedor dele e encontramos mais drogas e materiais utilizados para "batizar" o entorpecente. Só o LSD está avaliado em R$ 36 mil", conta.

Woyame explica que a cocaína apresentava uma característica distinta. "Não é uma novidade, mas é incomum. A droga estava embalada a vácuo, e isso não chama atenção de cães farejadores e de policiais", comenta. O homem apontado como distribuir das drogas, 27, já foi identificado, apesar de usar uma carteira de identidade falsa. Ele é estudante de engenharia elétrica na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e está foragido. "Nós tentamos localizar os outros dois distribuidores desta quadrilha, mas certamente o esquema está desmontado. Nós desarticulamos toda a entrada dessa droga sintética na cidade", conclui o delegado.