• Assinantes
  • Autenticação
  • Cidade
    Segunda-feira, 7 de março de 2016, atualizada às 18h

    Internautas denunciam mais locais com possíveis focos do Aedes aegypti em JF

    O Portal ACESSA.com recebeu, nos últimos dias, novas denúncias relacionadas a supostos focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus. Temerosos com a proliferação do inseto e aumento do número de infectados, os internautas pedem ação do poder público para redução dos riscos, visto que em apenas uma semana o número de novos casos prováveis subiu em mais de mil, com total de 3.740 registros.

    A bancária Anelita Caetano retorna a denunciar entulhos de latas, garrafas e sucatas no quintal de um de seus vizinhos, na rua Mário Pereira de Lima, no bairro Santa Cecília. O caso já foi alvo de denúncias no Portal. Em resposta à primeira matéria, a assessoria da Secretaria de Saúde informou que equipes vistoriaram o lugar e ofereceram caminhões para a retirada do lixo, mas o proprietário se negou a jogar as sucatas.

    "Meu prédio possui seis apartamentos e em quase todos algum dos moradores já pegou dengue, inclusive, meu marido. Já denunciamos várias vezes e nada muda. A sacada da minha sala dá de frente para o quintal", conta a moradora.

    No bairro Vila Ideal, na rua Vera Consuelo Nascimento, a auxiliar de serviços gerais, Josélia de Paula, reclama que um carro sem motor foi abandonado em frente à sua casa há três meses. O veículo está com os vidros quebrados e cheio de lixo em seu interior. "Estou muito preocupada, pois já tive dengue e tenho um filho pequeno. Além disso, o carro está sendo usado como esconderijo para drogas", informa.

    A terceira denúncia é da moradora Doralice Fernandes, que mora na rua Augusto Vicente Vieira, no bairro Santa Rita de Cássia. Ela fala que seu vizinho tem várias latas de tinta e lixo entulhados em um lote nos fundos da sua casa. "Ao redor do lote 26 pessoas já tiveram dengue", afirma.

    No bairro Aeroporto, moradores, que não quiseram se identificar, denunciam uma laje empoçada em cima de uma casa, na rua Eloy Américo Mendes. Um dos vizinhos diz que a poça fica por vários dias e sem tratamento.

    Moradores dos arredores da linha férrea que liga os bairros Mariano Procópio e Democrata retornaram a reclamar da falta de limpeza e capina no local. Eles afirmam que entraram em contato com a MRS Logística S.A, responsável pela manutenção da ferrovia, mas o problema continua.

    Respostas

    Conforme a assessoria da empresa, a solicitação do morador já foi registrada e será dado o retorno em breve. Eles completam que este tipo de ação demanda um planejamento e uma mobilização de recursos para ser realizada.

    A Secretaria de Saúde informa que as demandas serão encaminhadas para a equipe de endemias, para que seja realizada, o quanto antes, a visita aos locais solicitados. "Reforçamos que para os casos de recusa de visita, acumulo de lixo e terrenos particulares com mato alto, é realizada uma ação em conjunto com outras secretarias para o reforço das ações de combate ao Aedes".

    As denúncias de possíveis criadouros podem ser feitos pelo 3690-7290, 199, e-mail: saude@pjf.mg.gov.br, através do aplicativo colab.re ou pelo facebook/JuizDeForaPJF.


    Rua Eloy Américo Mendes, 9, bairro Aeroporto Rua Augusto Vicente Vieira, 577, bairro Santa Rita de Cassia Rua Vera Consuelo Nascimento, 230, Vila Ideal Rua Mário Pereira de Lima, 49, Santa Cecília Rua Mário Pereira de Lima, 49, Santa Cecília

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.