• Assinantes
  • Autenticação
  • Cidade
    Segunda-feira, 6 de maio de 2019, atualizada às 18h26

    UFJF realiza reunião com pastor de Igreja onde onça foi avistada

    Da redação

    Nesta segunda, 6 de maio, a pró-reitora de Extensão da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Ana Lívia Coimbra, conversou,  com o pastor Gonçalves de Paula Cunha, vice-presidente da Igreja Batista Resplandecente Estrela da Manhã, localizada no bairro Santa Terezinha, ao lado da Mata do Krambeck. O animal tem sido visto no estacionamento do terreno onde fica a congregação.

    “Embora a gente saiba que a onça tende a fugir da presença humana, há riscos para as pessoas e para ela mesma, caso se sinta acuada com a reação de cachorro ou de crianças, jogando pedras ou fazendo barulhos para chamar a atenção do animal. Em reação, ele pode atacar, pode ser que aconteça um acidente. Por isso, estamos alertando a população que a onça está passando em áreas onde há movimentação de pessoas”, disse Ana Lívia.

    O pastor relatou que tem conhecimento de fotos do animal na área do estacionamento da igreja e que medidas de segurança estão sendo tomadas. “A Igreja está ciente. Avisamos nossos fiéis, em cada culto, para tomarem cuidado, porque a onça está circulando por aqui. Há alguns que ficam com medo e dizem que não vêm. Outros sim. Adquirimos mais experiência sobre o animal com o Pedro e o Artur”, disse o pastor.

    Conforme o vice-presidente, foi elevada a quantidade de diáconos que ficam de prontidão do lado externo dos salões, onde são realizadas as atividades religiosas, para avisar os fiéis sobre o aparecimento do animal e tentar afastá-lo do estacionamento. “Avisamos especialmente os pais com crianças. E nosso vigia comunica os professores quando a onça é avistada. Faz oito anos que adquirimos este terreno e não tínhamos visto o animal”, disse o pastor.

    Além do alerta a líderes religiosos desde os avistamentos iniciais, a partir do dia 25 de abril, também foram avisados representantes de bairros do entorno do Jardim Botânico, em encontro, no dia 29, e vizinhos do local pessoalmente, de casa em casa, por estudantes bolsistas do Jardim, no dia 30.

    Risco de habituação

    A onça-pintada tem sido vista pela equipe de monitoramento na borda da Mata do Krambeck, que inclui o próprio Jardim Botânico e o estacionamento da Igreja, indicando certa habituação deste animal selvagem a atividades humanas, o que pode ser um risco.

    “Ela se acostumou a viver perto da cidade. Isso quer dizer que é um animal domesticado? Não, é um animal selvagem. Fizemos alguns testes, chegando muito próximo. Ela se incomoda com a presença do ser humano perto, saindo para o mato. Enquanto ela tem seus pontos de fuga, não busca o confronto. Buscaria se estivesse acuada em local onde não tem como fugir. É justamente isso que nos preocupa, quando o animal se encontra em uma zona urbana, porque ela pode aparecer na garagem de uma casa”, disse o coordenador substituto do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros (Cenap/ICMBio), Rogério Cunha.

    “Não consideramos um risco de ataque iminente do animal, mas ainda assim esse risco pode existir. Por isso, é necessária sua remoção para um lugar menos isolado, com menos possibilidade de contato com a população em larga escala como aqui”, completou.

    Para a segurança da população, como também para a salvaguarda do animal, a comissão interinstitucional responsável pela coordenação dos trabalhos em relação à presença da onça, na cidade, já solicitou para que sejam evitadas atividades nas imediações da Mata, principalmente com crianças.

    Orientações

    Caso aviste o animal ou encontre-se em situação de emergência, ligue para a Polícia Militar de Meio Ambiente, pelos telefones 190 e 3228-9050, ou para o Corpo de Bombeiros (193).

    Evite atividades nas margens do Rio Paraibuna, na área da Mata do Krambeck e em imediações da floresta, entre 17h e 6h.

    Conforme o Guia Prático de Convivência entre Predadores Silvestres e Animais Domésticos elaborado pelo Cenap/ICMBio, onças-pintadas normalmente têm medo do homem e tendem a evitar sua presença. No entanto, segundo o guia, é preciso evitar atividades que possam causar habituação do animal ao ser humano, ter precaução e seguir orientações de segurança.

    Caso se depare com a onça

    • Mantenha a calma.
    • Levante o braço, sem movimentos bruscos, para se parecer maior.
    • Nunca corra de uma onça, pois isso pode estimular seu instinto natural de caça.
    • Afaste-se lentamente de frente; não dê as costas.
    • Dê espaço para ela se afastar também, o que é uma tendência do animal.
    • Se estiver com criança, pegue-a no colo, para evitar que ela saia correndo; ou leve-a para trás de você, protegendo-a.
    • Não atire pedras ou outro objeto e nem corra, para não atiçar o instinto do animal.
    • Sem tirar os olhos da onça, fale alto e firme, não grite;


    Com informações da UFJF

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.