• Assinantes
  • Autenticação
  • Cidade
    Quarta-feira, 8 de abril de 2020, atualizada às 18h18

    Sinttro desmente boatos de demissão em massa de trabalhadores do transporte coletivo

    Da redação

    O Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo Urbano de Juiz de Fora (Sinttro) desmentiu os boatos sobre suposta demissão de 198 trabalhadores do transporte coletivo na cidade. A categoria iniciou nesta quarta-feira, 8 de abril, as assembleias nas rendições e garagens para montar pauta de negociação que será levada em reunião junto com as empresas de transporte público, prevista, inicialmente, para quinta, 9.

    Conforme informações da assessoria de comunicação do Sinttro, as empresas chegaram a cogitar a possibilidade de desfazer os contratos dos trabalhadores em contrato de experiência. "Mas as demissões não aconteceram, já que sinalizamos abrir negociação". As assembleias iniciaram hoje, às 13h, e devem continuar na quinta, 8, já que estão acontecendo nas rendições de turno e garagens. A intenção é a construção de uma proposta a ser levada às empresas para evitar demissões em massa e a retirada de benefícios e direitos do trabalhador rodoviário.

    Na última sexta-feira, 3 de abril, o Sinttro-JF conseguiu liminar na Justiça do Trabalho que garante pagamento integral dos salários de março dos trabalhadores do transporte coletivo na cidade. A medida também previa multa diária de R$ 300 por empregado atingido caso o pagamento integral não fosse realizado.

    A situação ocorreu após o Sindicato ter recorrido à Justiça após as empresas de ônibus informarem que tinham intenção de realizar o pagamento no quinto dia útil de abril com 25% de redução do salário.

    Quanto a empregabilidade no setor de transporte coletivo, a Astransp se manifesta, através de nota, que reitera a dificuldade de fazer frente até mesmo às despesas ordinárias do setor, diante da queda real de 80% da demanda de passageiros. "Já amargando crescente prejuízo desde o dia 17 de março, com redução de quadro em função do isolamento social imposto, as empresas estão avaliando individualmente as formas de adequação frente a este cenário. Reforçam que todas as tentativas estão sendo feitas no sentido de preservação dos empregos e dos salários, porém, não pode descartar completamente estas opções".

    Em relação ao impedimento de redução dos salário, a Astransp reitera que há liminar concedida em mandado de segurança, contrária à decisão proferida em favor do Sinttro. "Ainda cabe recurso, mas o TRT mineiro concedeu a segurança parcialmente, para suspender os efeitos da decisão que impedia a redução do salário".

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.