Quinta-feira, 31 de julho de 2008, atualizada ?s 17h

Festival Internacional de M?sica Colonial Brasileira e M?sica Antiga pode se tornar bem imaterial



Fernanda Fernandes
Rep?rter

O Festival Internacional de M?sica Colonial Brasileira e M?sica Antiga pode ser o pr?ximo evento da cidade registrado como bem imaterial. A exemplo do que j? foi feito com a Banda Daki (leia a mat?ria sobre a banda em 2006) e com o Apito do Meio-dia, o superintendente da Funalfa, Toninho Dutra, pretende tornar o festival, oficialmente, patrim?nio juizforano.

A id?ia foi acatada pelo prefeito Jos? Eduardo Ara?jo, que diz assinar o decreto assim que a documenta??o estiver pronta. A not?cia chega no momento de balan?o do festival 2008 e de preparo da 20? edi??o do evento.

Neste ano, o festival atraiu 80 mil espectadores em 31 apresenta?es, mantendo casa cheia em todos os espet?culos. Dos 678 alunos nas oficinas, 400 s?o de Juiz de Fora. Os n?meros divulgados pela institui??o s?o interpretados como altamente satisfat?rios e deixam a expectativa pela vig?sima edi??o do evento.

"Ficamos novamente contentes porque saiu tudo de acordo com o planejado. Como j? esperamos isso devido ao know-how adquirido, a expectativa maior ? quanto ao impacto. E observamos que foi tudo bem assimilado. Alunos e professores indicam que est? num crescente" , diz o vice-presidente do Pr?-M?sica, J?lio C?sar Sousa Santos, sem deixar de citar o impacto econ?mico ben?fico para a cidade.

Segundo J?lio, tudo o que o Pr?-M?sica idealizou para o festival desde o in?cio foi concretizado nessas duas d?cadas. "Agora chegou a hora de pensar quais ser?o os novos rumos, ou podemos passar mais 20 anos cultivando os mesmos objetivos com qualidade. Por enquanto ainda n?o h? nada consolidado", afirma.

Por ser tem?tico, o evento ? considerado inovador desde o princ?pio. As ?ltimas datas redondas tiveram como celebra??o especial o registro de concertos pela TVE (10? Festival) e a grava??o do repert?rio da Orquestra Barroca em DVD (15? Festival). As propostas para o pr?ximo ano ainda s?o um mist?rio, mas tudo indica que, depois de interpretar obras do per?odo cl?ssico nas ?ltimos anos, a forma??o volte ao Barroco.

J?lio d? a dica por meio de uma met?fora musical: "a sanfona estica, mas depois precisa fechar para sair o som bonito de novo."

N?meros do festival
  • 80 mil pessoas assistiram aos concertos
  • 753 m?sicos nos concertos noturnos
  • 297 m?sicos nas apresenta?es no Cal?ad?o
  • 678 alunos nas oficinas
  • 50 professores
  • 37 oficinas
  • 31 concertos e apresenta?es
  • 30 music?logos participantes
  • 01 exposi??o com 30 obras
  • Lan?amento de um livro e um CD
  • 944 hospedagens contratadas em hotel
  • 210 alojamentos, sendo 2.940 di?rias
  • 150 refei?es gratuitas no Restaurante Universit?rio, sendo 2.110 durante o festival
  • 2.529 refei?es contratadas
  • 05 patrocinadores
  • 11 apoiadores
  • 12 estagi?rios de turismo
  • 10 volunt?rios no atendimento
  • 07 forma?es musicais de alunos do Festival