Terça-feira, 18 de setembro de 2012, atualizada às 16h20

Filme rodado em Juiz de Fora participa de mostra de cinema da Bahia


Da Redação

Um filme rodado no bairro Progresso, em Juiz de Fora, foi selecionado para participar da V Mostra LEME de Fotografia e Filme Etnográficos da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Com a direção de Carlos Reyna, o longa O Exú no Reino de Ogum (vídeo ao lado) revela interpretações e coexistências entre as culturas da umbanda e do candomblé.

O vídeo é uma etnografia visual do Omolokô, resultado da pesquisa antropológica Os desafios da imagem: novos itinerários em Antropologia Visual, na qual Reyna buscou seguir diálogos e experimentações entre a antropologia e o cinema, utilizando para isso duas grades metodológicas: Do ponto de vista dos nativos, do antropólogo norte-americano Clifford Geertz, e o conceito de Filme de Exploração, da antropóloga fílmica Claudine de France.

A mostra ocorre entre os dias 19 e 21 de setembro, no auditório do Centro de Artes, Humanidades e Letras da UFRB, em Cachoeira (BA).

O diretor

Carlos Reyna é professor de cinema do Instituto e Artes e Design (IAD) e de Antropologia Visual do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCSO), ambos da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). A pesquisa foi feita junto ao Laboratório de Antropologia Visual e Documentário (Lavidoc) e ao grupo de trabalho de Antropologia Visual da Associação Brasileira de Antropologia (ABA).

Reyna trabalha com a linha de pesquisa Diversidade e Fronteiras Conceituais e tem experiência na área de cinema, com ênfase em ciências sociais, documentário e antropologia fílmica. De acordo com a assessoria da UFJF, o autor revela que o filme apresenta aos expectadores a relação de coexistência entre a umbanda e o candomblé, dentro de um mesmo espaço ritualístico.

Os textos são revisadoa por Mariana Benicá

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.