Estilos variados de interpretação da MPB invadem a praça Antônio Carlos

Os artistas Kadu Mauad e Gustavito se revezam em mais uma edição do Circuito Música da Cidade. O evento ocorre na tarde deste sábado

Nathália Carvalho
Repórter
9/11/2012

Dois artistas mineiros unidos pela qualidade da música produzida através da mistura e sonoridade de ritmos da MPB. Esta será a cara da próxima edição do Circuito Música da Cidade, que traz o juiz-forano Kadu Mauad (foto abaixo, à esquerda) e o belo-horizontino Gustavo Amaral (Gustavito, foto abaixo, à direita) para a praça Antônio Carlos, Centro, neste sábado, 10 de novembro, às 16h. A iniciativa é da Cooperativa da Música de Minas Gerais (Comum), com apoio da Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa). O acesso aos shows é livre e gratuito.

Na véspera do encontro musical, sexta, 9, ocorre o Conversa em Cena, momento de integração e trocas de experiências, na Videoteca do Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (CCBM), às 19h. A proposta é reunir músicos, produtores, jornalistas e interessados em debater sobre a produção da música em Minas, desde o cenário atual até possíveis desdobramentos.

Kadu Mauad Gustavo Amaral

As apresentações

Na tarde regada à música e cultura, ambos os artistas virão acompanhados de suas respectivas bandas, e o primeiro a subir ao palco será Kadu. O músico, que se divide entre as funções de poeta, compositor e produtor cultural, irá apresentar uma variedade estética e sonora em sua apresentação, característica forte de suas canções. O artista caminha com naturalidade por gêneros como seresta, samba, jazz, choro, xote, blues, valsa clássica, fado nordestino, rock, baião, e ainda música flamenca.

Para a apresentação, o compositor local apresenta o show Avatar, baseado no CD homônimo que foi lançado em maio deste ano. Quem acompanha Kadu Mauad é Fred Fonseca (contrabaixo e sampler), Guillermo Arantes (bateria), Rafael Gonçalves (guitarra elétrica) e Giovanni Stroppa (guitarra elétrica).

Logo em seguida, é a vez de Gustavito invadir os palcos com suas referências ao Tropicalismo e pitadas do Clube da Esquina. Um dos nomes mais prestigiados da nova cena musical da capital mineira, o músico vai apresentar seu primeiro trabalho solo, o álbum Só o amor constrói. "Estou com uma ótima expectativa para o show em Juiz de Fora, principalmente por ser em um lugar aberto e livre. Será o lançamento desse disco aqui na cidade, mas iremos apresentar também outras canções que não estão nesse trabalho", explica.

Com relação ao seu estilo musical, Gustavito explica que seu som trata-se de um "MPB psicodélico", como ele mesmo qualifica. "Trabalho em um processo que teve início na Tropicália, com muitas referências à cultura popular do país. Trago a mistura da guitarra elétrica, de ritmos, de estilos que vão do rock ao axé", conta. Sua apresentação será acompanhada por Pablo Passini (guitarra), Felipe José (contrabaixo e violoncelo), Christiano de Souza (percussão) e Yuri Vellasco (bateria). Compositor, arranjador, letrista e instrumentista, atualmente, o músico divide-se entre os grupos Diapasão e Tiaoduá.

Próximos shows

Em seu segundo ano de realização, o Circuito Música da Cidade ainda terá duas apresentações. No dia 24 deste mês, o grupo juiz-forano Quinteto São do Mato divide a cena com Maísa Moura, de Belo Horizonte. Os dois shows serão realizados no Museu Mariano Procópio. Para fechar a série, as meninas da Matilda, banda de Juiz de Fora, farão apresentação no mesmo dia que Luiza Brina e o Liquidificador, grupo também belo-horizontino. O show ocorre no dia 8 de dezembro, também no museu.

Os textos são revisados por Juliana França

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.