Quarta-feira, 9 de julho de 2014, atualizada às 17h40

Orquetra Barroca de Juiz de Fora ensaia sinfonia de Beethooven

Vívia Lima
*Colaboração
promusica

A sinfonia de número um de Beethooven foi executada nesta quarta-feira, 9 de julho, no ensaio feito pela Orquestra Barroca de Juiz de Fora e ecoou nos quatro cantos do Teatro Pró Música. Pela primeira vez, a orquestra traz para o 25º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga a transição do estilo clássico para o romântico, por meio das notas musicais.

Para o regente Luís Otávio Santos, "montar um projeto dessa envergadura é sempre um desafio, muitos músicos que aqui estão têm carreira internacional. Nosso desafio está no repertório, tivemos que descobrir outra sonoridade. O caráter excepcional desse ano, está na singularidade da orquestra ser a única desse gênero no Brasil. Atualmente serve como referência para músicos de outros países."

O repertório conta ainda com canções de Mozart. A obra escolhida foi a Sinfonia número 40, tocada em Sol menor, e faz parte do repertório clássico, que é também outro registro inédito no Brasil. O acervo abre com a obra nacional "Zaíra", composta no Brasil por Bernardo Souza Queiroz, e que a partitura original ainda sobrevive. "O público juiz-forano terá essa oportunidade única, que não acontece nem mesmo nos grandes centros como Rio e São Paulo", relata o oboísta da orquestra, Gilberto Caséiro.

Com todas essas novidades, a orquestra estreia com músicas no século XIX. "Com as pesquisas descobrimos que a música de Beethooven era tocada de maneira diferente. É um desafio novo até mesmo para nós que estamos tocando pela primeira vez com instrumentos de época."

O violinista Pedro Couri fala da experiência de gravar o CD com o repertório que marca a transição do movimento clássico para o romântico. "Vamos gravar o CD que representa a vanguarda para o festival e oferecer ao público da cidade e as outras gerações, o conhecimento e o legado da música ocidental europeia. "Pedro ainda ressalta que participar do festival "traz progresso, tanto para àqueles que assistem quanto para os que participam. Tudo em prol da cultura e da arte."

Todo esse repertório ficará registrado na gravação do 15º CD da Orquestra Barroca. O lançamento da obra está marcado para dezembro deste ano.

*Vívia Lima é estudante do 7º período de Jornalismo da UFJF

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.