Quarta-feira, 27 de agosto de 2014, atualizada às 08h37

Memória: livros da rede ferroviária são restaurados e digitalizados em JF

Rede Ferroviária

Uma coleção de 91 livros de termos de contratos da antiga Estrada de Ferro Central do Brasil (EFCB) e que tem parte da memória de 96 municípios no eixo Minas - Rio - São Paulo acaba de ser recuperada e digitalizada pela Inventariança da Extinta Rede Ferroviária Federal S/A (RFFSA). Ao todo, são 21.536 folhas e 43.072 páginas que resgatam os registros do período compreendido entre 1874 e 1957. Uma cerimônia que deve ser realizada no Museu Ferroviário de Juiz de Fora nesta quinta-feira, 28 de agosto, às 18h, irá apresentar o material à comunidade.

A maior parte dos documentos, alguns com 140 anos, é anterior à lei de criação dos cartórios e registram, em manuscritos únicos (somente uma via), o patrimônio da Estrada de Ferro Central do Brasil, que foi incorporada pela RFFSA. Eles informam a propriedade de bens (móveis e imóveis) e apresentam outros registros, como permissão de uso de bens a terceiros, recebimento de doações e concessão para exploração de restaurantes e bares em vagões e ferrovias, entre outros.

O material encontrava-se em precário estado de conservação, deteriorado pelo tempo e pelo acondicionamento e manuseio inadequados. O trabalho foi realizado em 220 dias pela empresa Action Itec – Informações e Tecnologia, do Estado do Rio de Janeiro, contando com técnicos que também participaram dos trabalhos de restauração da Lei Áurea.

O Museu Ferroviário de Juiz de Fora reúne mais de 400 peças, entre mobiliário, instrumentos de trabalho e de comunicação, livros técnicos, fotografias, equipamentos científicos, louças e miniaturas. A instituição possui, na área externa, duas locomotivas a vapor originais.

Com informações da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF)

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.