Juiz de Fora - MG

Fundação Amor Instituição é referência de centro especializado em dor em JF,
graças à colaboração de voluntários


Djenane Pimentel
Repórter
26/04/04
Fachada da atual sede da Fundação
ACESSIBILIDADE:
Ouça a matéria
Em arquivo:
A idéia de uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos, que tratasse da Dor, veio em 1999, através dos médicos Carlos Henrique Fernandes e José Rogério Calil Nader.
O projeto tinha um objetivo básico: preencher a falta de um centro especializado em dor, em Juiz de Fora. Dessa forma, a Fundação Amor foi criada.

Hoje, quase cinco anos depois, a instituição tem a missão de avaliar e tratar da população, carente ou não, que procura o local sofrendo com a dor do câncer e também dores crônicas, resultantes de outros problemas.

"Não existe nada pior do que uma pessoa com dor", declara a diretora da Fundação Amor Merle de Almeida. "Ela compromete nossas funções no dia-a-dia e torna nossa vida insuportável", afirma, ciente do que está falando, pois também já sofreu com o problema. "Tive, em uma certa época, muita dor orofacial. Mas, com ajuda de médicos e dentistas, consegui resolver o problema", conta.

Foto de uma das salas 
da Fundação Há um ano na diretoria administrativa da Fundação, Merle informa que a média de atendimentos na instituição chega a 200 por mês. Totalmente gratuitos, os atendimentos abrangem não só Juiz de Fora, como também outros 30 municípios da região da Zona da Mata.

O paciente chega à instituição encaminhado por algum médico, e, já com horário marcado, não enfrenta filas. "Quando a pessoa tem que fazer algum exame mais caro, e ela tem uma certa condição de pagar, a Fundação divide os custos. Se for realmente carente, pagamos tudo".

Equipe multidisciplinar de voluntários

Foto de 
uma voluntária fazendo massagem na perna de uma paciente A Fundação Amor conta hoje com uma equipe multidisciplinar de, aproximadamente, vinte voluntários na parte médica e administrativa, entre eles, professores de educação-física, massagistas, fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas, cirurgiões-dentistas especialistas em desordem têmporo-mandibular e dores orofaciais, além de médicos especialistas em dor.

De acordo com Merle, a instituição ainda tem o apoio de quase trinta pessoas, que se revezam nos projetos sociais realizados, como bazares, almoços beneficentes, e outras atividades voltadas para a divulgação do trabalho da Fundação.

"Mas o trabalho voluntário é assim: vem e vai, e nunca é demais pedir ajuda", lembra a diretora. Ela informa que, no momento, a instituição está precisando de um assistente social, um farmacêutico e mais um médico. Então, se você é um deles, faça a sua parte, ajude!

Dor fantasma e dor orofacial

foto ilustrativa de um rosto de uma pessoa 
com olhos fechados, como se estivesse sentindo dor Segundo Merle de Almeida, muitos pacientes amputados (pernas e/ou braços) procuram a Fundação reclamando de dores nos membros inexistentes. "Isto é chamado de dor fantasma. Ela existe realmente, você vê que a pessoa está com dor. Só que o problema tem que ser tratado de forma diferente, porque é difícil e deve ter o acompanhamento de um psicólogo", diz.

Já a dor orofacial é oriunda da cavidade oral - dentes, maxilares, músculos mastigatórios e articulações temporomandibulares - localizando-se habitualmente na face.

O tratamento encontra-se principalmente no campo da odontologia, no entanto, é necesário o apoio de profissionais estudiosos da dor e de seus mecanismos neurofisiológicos.

Nova Sede

Neste ano, os voluntários da Fundação Amor estão ainda mais animados. A Fundação recebeu um terreno da Prefeitura Municipal de Juiz de Fora, localizado na rua Olga Burnier, Costa Carvalho, para a construção de uma sede própria, visto que, desde 2002, a instituição está sediada junto às instalações da Fundação Espírita João de Freitas (Rua Hélio Rui de Melo, 15, São Mateus). De acordo com a diretora, a construção da sede deve ficar pronta até o fim do ano.

Recursos

A arrecadação da Fundação Amor é realizada através de doações mensais, esporádicas e dos eventos promovidos pela equipe de voluntários que atuam na área de projetos sociais. Tais recursos são revertidos na compra de novos medicamentos, equipamentos hospitalares, fisioterapêuticos e a construção da futura sede.

Como Ajudar

Se você quer ajudar a Fundação Amor, é simples: basta ligar para o telefone (32) 3218-4001 ou (32) 3214-0965 e saiba como fazer sua doação.
No site www.fundacaoamor.com.br você também encontra mais informações de como doar.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.