• Assinantes
  • Autenticação
  • Educação

    Magistério municipal mantém greve Após negociação na última sexta-feira, professores aderem a greve e aguardam contra-proposta da Prefeitura

    Renata Cristina
    Repórter
    28/05/2007

    Há uma semana em negociação com a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), o magistério municipal utilizou a abertura do Fest Ler como palco para manifestações durante o primeiro dia de greve. O movimento já tinha sido declarado na última sexta, 25, após a negociação com o secretário de Administração e Recursos Humanos, Renato Garcia, que apresentou a proposta de reajuste de 3% a ser pago em junho, setembro e dezembro. No entanto, em assembléia, a categoria decidiu pela greve, com quase 100% de adesão.

    "Levamos em conta não só o índice sugerido pelo governo, mas a forma como estamos sendo tratados durante esse processo", afirma Roberto Cupolillo, coordenador geral do Sindicato dos Professores de Juiz de Fora (Sinpro), referindo-se a proibição da entrada do magistério municipal no pátio da Prefeitura, no último dia 22, e a queixa-crime apresentada pelo prefeito Alberto Bejani contra nove militantes na sexta, dia 25.

    Para o diretor de finanças do Sinpro, Roberto Kalam, as ações repressivas da Prefeitura não representam formas democráticas de negociação. "A administração atual fala que a educação é prioridade, mas trata os professores como caso de polícia, em um movimento pacífico", observa Kalam.

    O secretário de Administração e Recursos Humanos, Renato Garcia, disse que não irá se pronunciar sobre o caso até a próxima quarta, dia 30, data marcada para uma reunião com os representantes dos sindicatos do funcionalismo municipal, entre eles, médicos, engenheiros e professores. O magistério se reúne em assembléia também na quarta para discutir os rumos da greve.

    Reivindicações
    A classe reivindica 29% de reajuste, referente as perdas acumuladas entre maio de 1997 a abril de 2004 e, ainda, a homologação dos concursos em andamento para imediata efetivação, abertura de processo seletivo para as disciplinas de português, história e ciências. A lista de pedidos contempla passe-livre para o magistério no período de trabalho ou vale-transporte pago em espécie, sem desconto no contra-cheque.

    Atualmente, os professores municipais com nível médio ganham R$ 552,23 e com nível superior R$ 813,93, com uma carga horária de 20 horas semanais. O reajuste previsto pelo Sinpro segue a proposta da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE).

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.