• Assinantes
  • Autenticação
  • Educação

    Reuni é aprovado pelo Consu Projeto de expansão da UFJF é aprovado com 30 votos a favor. Estudantes manifestaram e Conselheiros abandonaram a reunião


    Priscila Magalhães
    Repórter
    25/10/2007

    A chuva não impediu a manifestação dos estudantes da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e a manifestação não impediu a aprovação do Reuni pelo Conselho Universitário (Consu). A reunião aconteceu a portas fechadas enquanto cerca de 400 estudantes manifestavam.

    O Programa de Expansão e Reestruturação das Universidades foi aprovado com 30 votos a favor, quatro contra e duas abstenções. São 53 conselheiros e os outros 17 abandonaram a reunião antes que a votação começasse, como a professora Margarida Salomão; o presidente da Apes, Marcos Freitas; a diretora da Faculdade de Letras, Terezinha Scher; a representante do Congrad, Maria Helena Braga; e o integrante do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Fabrício Linhares.

    O motivo pelo qual eles deixaram a reunião foi o mesmo: o grande número de policiais que cercavam o MAM. Segundo o comandante de policiamento no centro da cidade, Capitão Brandão, foram 130 homens cercando o Museu, 20 do lado de fora dos portões e cerca de 45, da tropa de choque, no estacionamento, dentro do prédio, o que totaliza cerca de 200 homens.

    "Os policiais que cercam o prédio estão desarmados. Os homens que estão do lado de fora estão em situação normal, com armas, e a tropa de choque está usando equipamentos anti-tumulto. Estamos armados com equipamentos não letais, como balas de borracha, gás lacrimogênio e de pimenta. A ordem que recebemos é a de ficar prestando a atenção nos estudantes e deixar a manifestação acontecer, porém, prender quem causar algum dano ao patrimônio", explica o Capitão.

    Quem deixou a reunião

    Foto do protesto Margarida Salomão diz que a reunião do Consu é espaço pedagógico e deixou o local, porque tudo estava acontecendo de maneira brutal. "Nunca precisei ser guardada por polícia. Além disso, estamos pedindo o direito de uma discussão mais madura, pois haveria tempo suficiente para isso. O projeto poderia entrar no ano que vem".

    Margarida completou dizendo que o fato de pedirem uma maior discussão não significa que o projeto esteja sendo negado. "O projeto é o que a Universidade está pedindo. Não é só porque ele existe que a instituição vai receber o que foi pedido e aprovado aqui. Precisamos discutir isso melhor e tentamos fazer isso".

    Foto do protesto

    O coordenador do movimento estudantil do DCE, Isaías Soares de Souza (foto acima), acompanhou a reunião. Segundo ele, o reitor feriu o regimento do Conselho. "Ele não deu o direito à fala para quem estava contra a votação e isso nunca havia acontecido antes. A reunião foi imoral e feriu o Conselho. Além disso, houve uma votação para saber se haveria plebiscito na universidade e a maioria decidiu contra. A Apes vai entrar com um processo na justiça para invalidar a votação".

    Marcos Freitas (foto ao lado) diz que o conselho usou de forma arbitrária e negou voz aos conselheiros. "Além disso, o clima criado, com o MAM cercado de policiais, poderia afetar a integridade física dos manifestantes. O Consu estava votando matéria que fere o estatuto da universidade. Qualquer proposta de criação ou extinção de cursos deve tramitar em outras instâncias antes de chegar ao Consu. A garantia de democracia foi ferida. Estão jogando para que haja o caos institucional", explica o presidente da Apes.

    Palavra do reitor da UFJF

    O reitor da UFJF, Henrique Duque, disse em entrevista coletiva que a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) é que sugeriu o policiamento reforçado durante a votação, já que em outras universidades também aconteceram invasões.

    O reitor disse também que houve debates em todos os institutos. "A discussão sobre o Reuni aconteceu em todas as unidades e cada uma decidiu com liberdade o que queria. Os dados foram coletados e formatados de acordo com o Reuni. Todos os que aprovaram mostraram suas propostas. Alguns pediram mais tempo, como as faculdades de Letras, Educação, Serviço Social e Comunicação".

    Foto do protesto Foto do protesto Foto do protesto

    Duque acrescentou que, a partir do momento em que o projeto for aprovado, um contrato vai ser assinado e os recursos vão chegar. "É um convênio e a verba vai chegar para nós". Ele disse também que se o Reuni não fosse aprovado, a UFJF ficaria entre as menores do país. "Com o Programa, a universidade vai ficar em patamar compatível com outras da região e que também aprovaram, como a UFV e a UFMG. Quero lembrar que fizemos a opção pelo ser humano, com contratação de professores, servidores administrativos e aumento no número de bolsas. Outras universidades optaram pela infra-estrutura".

    Porém, a professora da Faculdade de Enfermagem, Girlene Alves, diz que o primeiro debate está marcado para esta sexta-feira, dia 26 de outubro. "Ainda não houve debate na Enfermagem. O debate estava marcado para amanhã. Não somos contra, só queremos que a expansão aconteça com qualidade e não com pressa", diz a professora.

    Daqui pra frente

    Com a aprovação, a proposta da universidade vai ser encaminhada ao Ministério da Educação (MEC) para uma avaliação final. Caso o projeto seja aceito, uma comissão vai ser formada na universidade para acompanhar sua implantação. As mudanças começam a entrar em vigor a partir de 2009.

    Entre as principais mudanças estão o aumento no número de vagas, a contratação de mais professores e de técnicos administrativos, aumento de vagas para o mestrado e doutorado e abertura de novos cursos.

    Segundo informações divulgadas pela assessoria de comunicação da UFJF, as unidades que apresentaram a proposta foram os Institutos de Ciências Exatas, Ciências Humanas, de Artes e Design, de Ciências Biológicas, as faculdades de Engenharia, Economia e Administração, de Direito, de Medicina, de Farmácia e o Colégio Técnico Universitário (CTU).

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.