Terça-feira, 25 de maio de 2010, atualizada às 18h19

Professores estaduais votam fim da greve. Retorno das aulas depende de assinatura de acordo

Clecius Campos
Repórter

Os professores estaduais decidiram voltar às salas de aula. Em assembleia realizada na tarde desta terça-feira, 25 de maio, os profissionais votaram pelo fim da greve que durou 47 dias. Porém, o retorno ao trabalho irá depender da assinatura do acordo firmado entre os sindicalistas e o governo do Estado, na noite da última segunda-feira, 24. Em Juiz de Fora, uma assembleia nesta quarta-feira, 26, deve deliberar a volta às aulas na quinta, 27.

De acordo com a diretora da subsede juizforana do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-Ute), Rosa Maria Pereira Penna, a assinatura do acordo significa ganhos à categoria. O documento estabelece prazo de 20 dias para criar uma comissão paritária, com participação de ambas partes, que irá rever o piso salarial da categoria. O grupo terá mais dez dias para apresentar a proposta à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Dessa forma, fica mantido o reajuste de 10%, concedido em maio, que elevou o piso salarial de R$ 850 para R$ 935, para carga horária de 24 horas semanais.

Os descontos salariais dos dias faltosos já realizados serão repostos em folha complementar entre 20 e 30 de junho. As faltas serão compensadas com aulas, seguindo calendário aprovado por cada colegiado escolar. "O governo garantiu que o professor não terá prejuízo algum. Esse foi um dos motivos da volta às salas de aula." O governo comprometeu-se ainda a isentar o Sind-UTE de qualquer penalidade ou multa originada pelas decisões judiciais expedidas pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.