Sexta-feira, 5 de novembro de 2010, atualizada às 17h27

Estudante juizforana é finalista em concurso nacional de poesia

Clecius Campos
Repórter

A estudante juizforana Rafaela Carla da Trindade, 14 anos, é uma das finalistas do Prêmio Moutonnée de Poesia, promovido pela Secretaria de Cultura e Turismo da cidade de Salto, no interior de São Paulo. A obra de Rafaela está entre as dez selecionadas, após concorrer com outros 500 autores de todo o país inscritos no concurso. Neste sábado, 6 de novembro, ela ficará sabendo se será a grande campeã.

Rafaela é aluna do Centro Educacional de Referência Herval da Cruz Braz e finaliza um ciclo de estudo equivalente ao sexto ano do ensino fundamental. Ela ficou surpresa com a indicação ao prêmio. "Não imaginava ser uma das dez escolhidas. Foi muito bom ser reconhecida. Gostei bastante." A adolescente viaja até Salto para acompanhar a premiação, que ocorre no Centro de Educação e Cultura Anselmo Duarte, também em Salto. Ela está animada com a viagem. "Nunca fui para São Paulo. É bom que vou conhecer. E, ainda, vou viajar pela primeira vez de avião", diz sem esconder o nervosismo.

Em Salto, Rafaela participará de atividades culturais variadas como Varal de Poesias, visita guiada ao Parque da Rocha Moutonnée — uma espécie de granito formado há cerca de 270 milhões de anos na região —, dinâmica de criação e declamação, espetáculo teatral e sarau de poesias. "Espero fazer muitas amizades e aproveitar bastante."

Nunca desistir

Rafaela escreveu a poesia O jogo da vida (veja o vídeo acima). O texto em versos compara um jogo de futebol com os desafios da vida. A ideia nasceu depois que a estudante assistiu a uma partida da seleção brasileira na Copa do Mundo. "Quis mostrar que nós não podemos desistir das coisas que queremos. O jogo da vida é buscar o que a gente quer." Rafaela sabe o que quer: ou vira jornalista ou segue com a carreira de escrever poesias. "Gosto de escrever em casa, tenho muitas poesias lá. Já tentei publicar na internet, mas ainda não consegui."

A professora da Sala de Leitura do Centro, Valéria Pires, afirma que o desempenho de Rafaela no concurso é uma surpresa, já que a aluna estuda em regime de suplência e não em escola regular. "O projeto do Centro Herval é diferenciado, ele trabalha com alunos com algum tipo de defasagem. Damos um tratamento especial para que os estudantes sejam capazes de evoluir. Recebemos meninos desmotivados dos estudos por vários motivos e ver um talento sendo revelado é gratificante."

O ambiente escolar foi fundamental para que Rafaela desenvolvesse a poesia. Os versos foram escritos na Sala de Leitura, onde, segundo a adolescente, há "mais sossego". "Dá para pensar melhor." No local, Rafaela e os outros alunos do Centro ainda têm a chance de participar de oficinas e de exibições de filmes que incrementam a formação.

O jogo da vida

Ontem vimos um jogo distante
que aconteceu de maneira vibrante.

Esse jogo saiu de uma aula boa.
Quem sabe um jogo de bola...
Mas não foi um jogo à toa.

Foi um jogo de vida,
escrito em um livro emocionante,
ditado pela vida a cada instante.

Esse jogo tem de tudo...
Mas só vai para o segundo tempo
se existir paixão.
Esse é o jogo de todo mundo.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.