Quarta-feira, 5 de junho de 2013, atualizada às 12h

Programa Ciência sem Fronteiras oferece mais de 13 mil vagas


Da Redação
Ciência sem Fronteira

O programa do Governo Federal Ciência sem Fronteiras oferece 13.480 vagas para 18 áreas do conhecimento científico e tecnológico em nove países da América do Norte, Ásia e Europa. As inscrições encerram no dia 8 de julho e devem ser feitas pelo site do programa. Nesta nova chamada, os destinos são Alemanha, Austrália, Canadá, Coreia do Sul, Estados Unidos, Finlândia, Hungria, Japão e Reino Unido (veja tabela). Novos países poderão ser incluídos dependendo das negociações realizadas com parceiros no exterior.

Para participar, o candidato deve preencher pré-requisitos básicos, como ser brasileiro ou naturalizado, possuir bom desempenho acadêmico, ter concluído 20% do currículo previsto para o curso de graduação, estar regularmente matriculado em instituição de ensino superior no Brasil em cursos relacionados às áreas prioritárias do Ciência sem Fronteiras, e por último, ter ingressado na universidade através do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) com no mínimo 600 pontos. Há ainda exigências específicas para cada país. Os candidatos que participam de bolsas de iniciação científica ou tecnológica do CNPq ou da Capes têm preferência no processo seletivo.

UFJF

A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) quase dobrou o número de estudantes selecionados na última lista divulgada no final de abril. Foram 163 alunos, um crescimento de pouco mais de 90% ante os 85 do ano passado. Os destinos mais escolhidos pelos estudantes da universidade foram Reino Unido (47), Itália (22), Estados Unidos (21), Austrália (19) e Canadá (18).

O programa

Ciência sem Fronteiras busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional. A iniciativa é fruto de esforço conjunto dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC), por meio de suas respectivas instituições de fomento – CNPq e Capes –, e Secretarias de Ensino Superior e de Ensino Tecnológico do MEC.

O projeto prevê a utilização de até 101 mil bolsas em quatro anos para promover intercâmbio, de forma que alunos de graduação e pós-graduação façam estágio no exterior com a finalidade de manter contato com sistemas educacionais competitivos em relação à tecnologia e inovação. Além disso, busca atrair pesquisadores do exterior que queiram se fixar no Brasil ou estabelecer parcerias com os pesquisadores brasileiros nas áreas prioritárias definidas no Programa, bem como criar oportunidade para que pesquisadores de empresas recebam treinamento especializado no exterior.

País Vagas
Alemanha 2.000
Austrália 2.250
Canadá 2.188
Coreia do Sul 292
Estados Unidos 2.000
Finlândia 300
Hungria 2.300
Japão 150
Reino Unido 2.000

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.