Há 19 dias parados, professores votam pela permanência da greve

Novo encontro da PJF e Sinpro-JF está agendado para a próxima segunda-feira, 6, às 16h30, na Secretaria de Educação, com assembleia na terça, 7

Angeliza Lopes
Repórter
31/03/2015
greve

Com adesão de 82% do efetivo, os professores da rede municipal decidiram em assembleia, nesta terça-feira, 31 de março, no Ritz Hotel, pela permanência da greve, por tempo indeterminado. Cerca de 40 mil alunos de Juiz de Fora já estão sem aulas há 19 dias. Após a decisão unânime, os magistrados saíram em passeata pela avenida Rio branco, rumo a rua Halfeld, com carro de som e faixas. Eles pedem a revogação do artigo 9°, incluso na Lei 13.012/14 e que concede reajustes diferenciados àqueles que ganham abaixo do Piso Nacional. A norma é o principal motivo pela manutenção da greve, que segundo sindicalistas prejudica o plano de carreira.

Na segunda-feira, 30, representantes do Sindicato dos Professores Municipais (Sinpro-JF) e da Secretaria de Recursos Humanos e de Educação se reuniram para nova rodada de negociações. Conforme o coordenador-geral do Sinpro-JF, Flávio Bitarello, foram discutidos três pontos principais, sendo um deles a possível modificação do artigo 9°, de forma que o mesmo não atinja o plano de carreira dos professores. "Também queremos abrir diálogo sobre a implementação do reajuste de 13,01%, concedido pelo MEC e sobre a proposta de redução de jornada de trabalho para as secretárias escolares", explica.

Na terceira reunião, a administração reiterou a proposta apresentada na última semana, que seria o reenquadramento de professores regentes A (PR-A) em regentes B (PR-B) para efetivos, mas o sindicato informou oficialmente que a mesma foi recusada durante assembleia da categoria. "Na reunião desta segunda-feira, tivemos a primeira sinalização de uma disposição por parte do Sinpro de discutir o artigo 9º da lei municipal nº 13.012, intenção manifestada pelo Município desde o início", explicou a secretária de Administração e Recursos Humanos, Andréia Goreske. Os outros pontos ainda serão avaliados pelo Executivo.

Um novo encontro está agendado para a próxima segunda-feira, 6, às 16h30, na Secretaria de Educação, com assembleia na terça, 7. Durante reunião o sindicato fará vigília em frente ao prédio, com o chamado dos pais de alunos para participar do ato.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.