Quarta-feira, 27 de maio de 2015, atualizada às 09h21

Professores federais rejeitam deflagração de greve nesta semana

Um assembleia promovida pela Associação de Docentes de Ensino Superior de Juiz de Fora (Apes-JF) na tarde da última terça-feira, 26 de maio, rejeitou a deflagração de uma greve na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e no IF Sudeste MG. 

De acordo com a assessoria da Apes-JF, foram 91 votos favoráveis à greve, 231 contrários e uma abstenção. Os docentes indicaram ainda uma nova assembleia com data a ser definida pela diretoria para acompanhar o Movimento Nacional nas Instituições Federais de Ensino, que através da Sindicato Nacional das Instituições de Ensino Superior (Andes), havia aprovado um indicativo de greve.

No entanto, nesta sexta-feira, 29, os docentes aderiram à paralisação dos Servidores Públicos Federais, contra o PL 4.330, que regulamenta a terceirização, e as MPs 664 e 665 que alteram benefícios trabalhistas.

Técnicos-Administrativos

Por outro lado, o Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação das Instituições Federais de Ensino no Município de Juiz de Fora (Sintufejuf) deflagrou greve por tempo indeterminado para tratar da campanha salarial da categoria, que não foi cumprida pelo governo após as greves de 2012 e 2014, a partir desta quinta, 28. Apenas serviços básicos, como segurança do campus e limpeza, devem funcionar. A paralisação vai acontecer nos campis da UFJF em Juiz de Fora e Governador Valadares e no IF Sudeste MG.

Com informações da Assessoria de Imprensa.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.