• Assinantes
  • Autenticação
  • Educação
    Sábado, 4 de maio de 2019, atualizada às 09h45

    MEC bloqueia R$ 23 milhões destinados à UFJF

    Da redação

    A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) teve 30% de sua verba bloqueada pelo Ministério da Educação (MEC). Na última quinta-feira, 2 de maio, o  Conselho Superior (Consu) da UFJF reuniu-se a fim de discutir a situação, que impacta diretamente o funcionamento da instituição, uma vez que o percentual corresponde a um contingenciamento de R$ 23 milhões no orçamento de custeio e capital. A iniciativa do MEC foi anunciada no dia 1º de maio.

    Na reunião, o reitor Marcus David fez um relato acerca das consequências que um corte desta natureza pode gerar na manutenção da Universidade, impactando o funcionamento técnico da instituição mas, sobretudo, as comunidades que são beneficiadas com seus projetos e serviços. “Acumular mais um bloqueio de 30% do orçamento ameaça o funcionamento da UFJF e também o desenvolvimento das cidades em que ela está instalada, como Juiz de Fora e Governador Valadares. Um impacto como esse compromete todos os programas, inclusive os em andamento.”

    Durante a discussão, a Administração Superior e o Consu mostraram preocupação com os serviços que podem ser impactados, mas também com o viés ideológico que, em um primeiro momento, justificou os bloqueios. Após amplo debate, o Conselho Superior aprovou a redação de uma nota, publica nesta sexta, 3, no site da Universidade. Confira na íntegra.

    Além disso, foi decidido deixar a reunião em aberto durante a próxima semana para que se possa avançar os estudos sobre os reais impactos, continuando as deliberações na sexta-feira, 10. A ideia é se reunir novamente para avaliar o que seria reduzido, tentando minimizar os prejuízos a bolsas, projetos e ao sistema universitário como um todo.

    Impactos sociais

    O reitor ressaltou a relevância das universidades públicas, sendo responsáveis por mais de 90% das pesquisas realizadas no Brasil, com elevada taxa de avaliação na graduação no país e atendendo milhões de pessoas em programas de extensão. Além de destacar o reconhecimento regional e nacional da UFJF, especificamente. Segundo ranking da Folha de S. Paulo, a UFJF é a terceira de Minas Gerais e a 23ª universidade brasileira (2017 e 2018) entre 196 instituições, ocupando a oitava posição nacional em internacionalização.

    Para a presidente da Associação dos Professores do Ensino Superior de Juiz de Fora (Apes), Marina Barbosa Pinto, um corte de 30% afeta todos os projetos existentes em âmbito pedagógico. “O impacto é muito severo para a sociedade brasileira,  para os trabalhadores da universidade e para os estudantes. A tendência é que a gente tenha uma retração na nossa condição de trabalho e na possibilidade de melhores condições para os alunos, podendo atingir inclusive a política de assistência estudantil”. Além do que se refere ao ensino e à pesquisas, Marina ressaltou também a ameaça à projetos que impactam a comunidade externa, por meio de iniciativas extensionistas. Os 575 programas e projetos de extensão da UFJF abrangem, aproximadamente, 100 bairros de Juiz de Fora, além de 876 bolsistas e 723 docentes, regiamente regulados por editais.

    O coordenador da área de comunicação sindical do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sintufejuf), Márcio Sá Forte, afirma que um corte orçamentário representa um desmonte de uma política de educação inclusiva e transformadora. “Essa decisão compromete bolsa dos estudantes e o salário dos trabalhadores, mas também um instrumento importante de transformação da sociedade, que é a universidade pública. No tempo em que trabalhei com alunos da UFJF, presenciei a transformação. Vi jovens serem os primeiros da sua família a conquistarem um diploma de curso superior e pessoas saírem do interior e modificarem sua realidade por meio da educação. E é isso que está em jogo.”

    Com informações da UFJF

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.