Os segredos para uma boa nota em Literatura Estar atualizado, ter boa leitura e saber contexto histórico
das obras é fundamental para um boa prova

Thiago Werneck
Colaboração
27/07/2007

Prova de Literatura no vestibular é sinônimo de livros a serem lidos. Na Universidade Federal de Juiz de Fora, (UFJF) são onze obras de diferentes escolas literárias que deixam muitos estudantes perdidos na hora de estudar. O ideal é ler todas, mas e se não der tempo? Será que os resumos são suficientes para uma boa prova?

Para a professora de literatura, Tatiana Franca Rodrigues (foto abaixo), nem mesmo a leitura de todas as obras garante boas notas. "Primeiro, o aluno deve saber em qual movimento literário de época se enquadra cada livro. Essa definição para saber se o livro é do romantismo, se é realista, modernista, naturalista ou qualquer outra escola literária é essencial", destaca.

Além disso, ter o hábito de leitura e estar sempre atualizado com as notícias do dia-a-dia fazem a diferença nas questões.

Segundo Tatiana, as provas da UFJF cobram cada vez mais a visão crítica e interpretação dos alunos. "As questões sobre as obras se relacionam com algum contexto histórico ou da atualidade. Por isso, o estudante deve gostar de ler e ter esse hábito. Se ele reunir esses elementos, levar as dúvidas para sala de aula e fizer exercícios da matéria, fará uma excelente prova", avalia.

Síntia de Oliveira Souza A professora de literatura, Maria Laura Müller da Fonseca (foto abaixo), concorda que essa base de leitura e atualização é essencial para o aluno, mas discorda quando questionada sobre a importância de se enquadrar as obras em cada estilo da literatura.

"A banca de Juiz de Fora não é muito estilística. Ultimamente as questões têm sido muito ligadas às provas de português. Quem interpreta bem o texto da língua portuguesa, vai bem na prova de literatura. Pelo menos foi assim na última prova", afirma.


Já quando o assunto são os resumos é preciso cuidado para não perder detalhes da obra. "O candidato que fica restrito ao que foi resumido da obra perde detalhes importantes do que foi escrito e não tem a segurança necessária para escrever uma resposta correta. Essa é uma forma de estudo apenas para ajudar memorização, reforçar o que já foi estudado", explica Tatiana.

Mas para a primeira etapa do vestibular da UFJF, Maria Laura acredita que basta a leitura do resumo. "Tenho alunos que leram apenas o conteúdo resumido e fecharam a primeira etapa de literatura. Infelizmente para as questões fechadas tem bastado ler o resumo para o vestibular da UFJF", lamenta.

Síntia de Oliveira Souza Maria Laura critica o número de livros cobrados na instituição. "Com esse tanto de obra muitos optam pelo resumo. Eles não têm tempo para ler tudo e isso prejudica o conteúdo da literatura nas provas. São raros os alunos que lêem todos, e tem diminuído cada vez mais nos últimos cinco anos. Tem livros bons que são especializados em resumos das obras. Faltam na UFJF perguntas que valorizem o enredo e os elementos de narrativa", comenta.

Um perigo é o resumo retirado de internet. Os autores desses textos, que sintetizam os livros, são desconhecidos e por isso o conteúdo pode conter interpretações equivocadas e não apresentar pontos essenciais para compreensão da obra. "Resumo de internet de forma alguma é recomendado. Caso não possa ler o livro, o ideal é procurar a ajuda de algum professor de literatura para indicar outra saída", observa a professora Tatiana.

Filmes e séries

As mini-séries e filmes que retratam algumas obras também não são recomendadas por Tatiana. Ela afirma que essas adaptações muitas vezes não são fiéis ao conteúdo dos livros. "Uma mini-série de televisão baseada no Incidente de Antares, de Érico Veríssimo, pula a primeira parte da obra, que pode ser fundamental para resolver uma das questões. Quem não lê já perde esses pontos", exemplifica.

Mas às vezes essas produções de cinema e televisão podem ajudar. De acordo com Maria Laura, Morte e Vida Severina é representada de forma perfeita no cinema. "Os versos são reproduzidos de forma fiel ao livro. Recomendo para todos que vão fazer o vestibular. Com outros filmes e séries alguns cuidados devem ser tomados, mas é sempre um bom reforço para o aluno que leu a obra", destaca.

Dicas para vestibular da UFJF 2008

A primeira dica para se dar bem na prova é criar hábito de leitura. Para a professora Tatiana, a obra Literatura de dois gumes, de Antônio Cândido, merece atenção especial. "A linguagem desse livro é mais erudita. Ele pega a questão histórica do Brasil colonial para entender a atual a realidade do país. Uma obra que estava no último programa do vestibular e não foi cobrada. Eles não fariam isso duas vezes: pedir e não cobrar", alerta.

Além dessa obra, os livros de Carlos Drummond de Andrade, Érico Veríssimo, João Cabral de Mello Neto e Machado de Assis também são apontados como entre os mais importantes. "Na verdade, tudo é importante. O aluno deve ser perspicaz, crítico e ter uma leitura madura. Eu recomendo que até o final do primeiro semestre eles já tenham lido todos os livros, para no segundo ficarem mais tranqüilos, só reforçando o que viram", explica Tatiana.

foto da banda no palco Julian frequentador do samba Músicos da Roda de Samba

Para os que já perderam esse tempo a solução é correr atrás do atraso usando o momento de descanso para ler. "Você pode ler um livro deitado, comendo alguma coisa, pode relaxar de outras matérias mais pesadas. O ideal é anotar e marcar o que ler de mais importante", recomenda Tatiana.

As obras vestibular UFJF
  • Helena, Machado de Assis
  • Lira dos vinte anos (foto acima), Álvares de Azevedo
  • Antologia de Crônicas, Org. Herberto Sales
  • O menino do engenho, José Lins do Rego
  • Antologia de Contos Brasileiros, Org. Herberto Sales
  • Sentimento do Mundo, Carlos Drummond de Andrade
  • Civilização e Singularidades de uma rapariga loira (contos), Eça de Queirós
  • Incidente em Antares (foto acima), Érico Veríssimo
  • Literatura de dois gumes (ensaio) , Antônio Cândido
  • O conto da Ilha Desconhecida, José Saramago
  • Morte e Vida Severina (foto acima), João Cabral de Melo Neto
Dicas para as provas da UFMG, UFV e UFOP

Para quem vai fazer a prova na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a dica de Maria Laura é entender bem dos elementos narrativos. "Eles exploram muito quem é o narrador, os personagens, tempo, espaço e principais fatos. Exploram bem a obra e fica uma prova mais voltada para literatura", ressalta.

Outro conselho importante é tentar relacionar o conteúdo das obras. "Eles sempre fazem uma questão para o aluno comparar duas, três obras. Dessa vez os cinco livros exigidos retratam de formas diferentes a sociedade brasileira. Maíra retrata os indígenas; Ponciá Venâncio os afrodescendentes; Recado do Morro, o sertão. Na obra de Machado de Assis, há contos que criticam a sociedade do século XIX e em 26 poetas hoje poesias marginais da época da ditadura. Um prato cheio para ser explorado pela banca", observa Maria Laura.

Para a professora os elementos narrativos também são fundamentais para quem prestar vestibular na Universidade Federal de Viçosa (UFV) e na Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). "Nessas duas Universidades as provas são mais simples. As questões são mais diretas e na maioria das vezes apresentam questões básicas de literatura", avalia.

*Thiago Werneck é estudante de jornalismo da UFJF

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.