Candidato a bombeiro precisa ter espírito de desprendimentoCorporação não só apaga fogo, mas também atende emergências médicas, resgata animais, manipula produtos tóxicos e soluciona suspeitas de bomba

Clecius Campos
Subeditor
16/9/2011
Foto de carro de bombeiros

Ter espírito de desprendimento é a principal característica que deve ter um candidato a bombeiro militar. Diante das diversas atribuições da profissão, estar mais preocupado com o próximo do que consigo mesmo é o principal ponto do perfil de tal profissional.

"As ocorrências podem demorar, os locais podem oferecer muitas adversidades, como calor, sujeira, dificuldades visuais, o próprio cansaço. E o bombeiro não pode se entregar. Tem que estar focado na necessidade da vítima e sempre acreditar na possibilidade de resgate. O sentimento se resume em amar o próximo e estar preparado para ajudá-lo", opina o assessor de Comunicação Social do 4º Batalhão de Bombeiro Militar (BBM), capitão Marcos Moreira Santiago.

Segundo Santiago, o membro da corporação não só apaga fogo, mas também atende emergências médicas, resgata animais, manipula produtos tóxicos e soluciona suspeitas de bombas, entre outras atividades. "O profissional deve estar muito bem treinado, por isso, são feitos cursos, instruções e treinamentos cotidianos para o aperfeiçoamento das ações." Os primeiros treinamentos ocorrem nos cursos que precedem a aprovação dos oficiais em concurso público para ingressar na corporação.

Está aberto, até o dia 30 de outubro de 2011, o concurso para o preenchimento de 83 vagas no Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais. Para participar, o candidato precisa ser brasileiro nato, possuir idoneidade moral; estar quite com as obrigações eleitorais e militares; ter, no mínimo, 18 anos e, no máximo, 30 anos de idade na data de posse, ensino médio completo, 1,60 m de altura, aptidão física, ser considerado indicado em avaliação psicológica e ter sanidade física e mental. Aprovado na prova objetiva, o candidato passa por exames de saúde, teste de avaliação física e estágio preparatório.

Durante o curso pelo qual precisa passar antes de ser considerado um oficial, o cadete terá disciplinas divididas em quatro módulos: técnico, jurídico, operacional e complementar. O treinamento dura 4.690 horas/aula, distribuídas em quatro anos. Ao final dos quatro anos de curso, o cadete é declarado aspirante à oficial, capacitado para assumir as funções de oficial subalterno no comando de atividades de prevenção, socorro, salvamento e combate a incêndios no âmbito do Corpo de Bombeiros Militar.

Oficiais têm serviço gerencial

"Os oficiais fazem um serviço de gerenciamento e coordena ações. No entanto, as atribuições não ficam só no âmbito administrativo. Será preciso, também, realizar tarefas de salvamento, com supervisão de operações, por exemplo. O bombeiro nunca se afasta de sua principal missão que é salvar vidas", informa Santiago. O salário inicial de um tenente é de R$ 4.421,11. Os rendimentos podem aumentar conforme os adicionais por desempenho e o tempo de serviço, que leva em conta os quinquênios. Como em todos as carreiras militares, um tenente pode se tornar capitão, major, tenente-coronel e coronel.

Na opinião de Santiago, o grande desafio da profissão é manter alto o reconhecimento da população pelo trabalho do Bombeiro. "Percebemos um grande carinho da população e muito reconhecimento. Nossos esforços são para corresponder a essa imagem positiva. E, para isso, é preciso fazer nosso trabalho da melhor maneira possível."

Competências
  • Coordenar e executar as ações de defesa civil, proteção e socorrimento públicos, prevenção e combate a incêndio, perícias de incêndio e explosão em locais de sinistro, busca e salvamento;
  • Atender à convocação, à mobilização do governo federal, inclusive em caso de guerra externa ou para prevenir grave perturbação da ordem ou ameaça de sua irrupção, subordinando-se à Força Terrestre para emprego em suas atribuições específicas de Corpo de Bombeiros Militar e como participante da defesa interna e territorial;
  • Coordenar a elaboração de normas relativas à segurança das pessoas e dos seus bens contra incêndios e pânico e outras previstas em lei, no Estado;
  • Exercer a polícia judiciária militar, relativamente aos crimes militares praticados por seus integrantes ou contra a instituição Corpo de Bombeiros Militar, nos termos da legislação federal específica;
  • Incentivar a criação de Bombeiros não militares e estipular as normas básicas de funcionamento e de padrão operacional;
  • Exercer a supervisão das atividades dos órgãos e das entidades civis que atuam em sua área de competência;
  • Aprimorar os recursos humanos, melhorar os recursos materiais e buscar novas técnicas e táticas que propiciem segurança à população.

Fonte: Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Minas Gerais

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.