• Assinantes
  • Esporte

    Juizforanos participam de rally off road no nordeste Competidores disputam pela primeira vez o Piocerá, considerado uma das maiores provas desse tipo na América Latina


    Guilherme Arêas
    Repórter
    Madalena Fernandes
    Revisão
    20/01/2008

    Sete juizforanos partem para o nordeste brasileiro rumo a uma das maiores provas off road de regularidade da América Latina. A 22ª edição do Rally Piocerá vai ser disputada entre os dias 27 e 31 de janeiro, com início em Teresina, no Piauí, terminando em Fortaleza, no Ceará.

    Leonardo Vieira Franco e Weidner Moreira disputam a prova nos quadriciclos. Já a dupla Mario César de Landa Moraes e Luiz Antonio Cavalieri fazem o percurso na categoria 4x4, nos carros. Eles têm o auxílio do mecânico Flávio Bisi e de Marcelo Toneli e Willian Werneck na equipe de apoio.

    Antes de partirem rumo ao nordeste, no próximo dia 22 de janeiro, os pilotos e auxiliares, que disputam o Piocerá com outros 500 competidores de todo o país, mostraram um pouco do que vão encontrar no calor das terras nordestinas. Este é o primeiro desafio dos juizforanos nesta competição, mas a experiência dos atletas promete que o grupo vai para disputar as primeiras colocações.

    O piloto Mário César é um dos mais experientes do grupo e considera o desafio no nordeste como o mais difícil da carreira. Mas ele não desanima frente aos 1.144 quilômetros que os pilotos terão de enfrentar: "Estamos muito bem preparados", confia.

    Ao lado dele segue o companheiro Luiz Antônio, o Totonho, responsável pela navegação do carro. Aliando experiência, instinto e muita tecnologia, ele garante que a imprevisibilidade da prova gera ainda mais emoção. "As informações sobre o trajeto são dadas na hora da largada. Nós recebemos uma planilha com as orientações de velocidade e direção. Cada piloto larga em uma hora, minuto e segundo específicos".

    Foto da equipe de rally Foto da equipe de rally

    No rally de regularidade, os pilotos buscam seguir o trajeto proposto dentro da velocidade indicada e do tempo correto, tudo pré-estabelecido pela direção da prova. Portanto, não adianta correr ou ser vagaroso demais.

    Os carros e quadriciclos passam por postos de controle instalados por todo o percurso. Os dados são captados e processados via satélite, o que garante a exatidão das informações sobre o tempo de cada trajeto.

    Apesar de a tecnologia e a experiência serem pontos positivos para a segurança, os pilotos contam com o auxílio de um carro de apoio, que acompanha os veículos durante toda a prova. "Nossa função é dar o apoio antes, durante e após as etapas, inclusive durante os neutros, as paradas de curto tempo que duram cerca de 20 minutos", revela Marcelo Toneli.

    Foto da equipe de rally Foto da equipe de rally

    Único que vive profissionalmente deste esporte, Weidner Moreira compete pela primeira vez na categoria quadriciclo. O bicampeão brasileiro como navegador da equipe Salvini Racing na categoria T4.2 (destinada a caminhões com mais de 4.800 quilos), acredita que o desafio desta vez é ainda maior. "Nos caminhões eu tenho a função apenas de orientar os pilotos. Agora eu tenho que pilotar e navegar ao mesmo tempo", explica.

    Para aguentar os quatro dias de competições, o mecânico do grupo esclarece que os componentes mais exigidos dos carros e dos quadriciclos são a suspensão, as caixas e os freios. "Nos quadriciclos, o motor também é muito importante. Esse tipo de prova exige 100% dos carros", avalia Flávio Bisi.

    O piloto Leonardo Vieira já competiu duas provas no quadriciclo, modalidade que considera pouco incentivada em Juiz de Fora. "Aqui na região, o quadriciclo não tem tanta força. No nordeste ele é mais incentivado. Então vamos ter um desafio grande pela frente".

    Foto da equipe de rally Foto da equipe de rally

    Nos quatro dias de disputa, os pilotos atuam em oito etapas. Em uma delas, eles terão que encarar nove horas de provas em um único dia. Ao todo, cinco categorias diferentes nos modos regularidade e cross-country velocidade participam do Piocerá: motos, quadriciclos, carros 4x4, bikes e caminhões 4X4.

    O evento acontece desde 1987 e tem a curiosidade de poder ter dois nomes diferentes. Se o enduro começar no Ceará e terminar no Piauí, como em 2008, o nome é Cerapió. Se sair do Piauí e chegar ao Ceará, como neste ano, o nome é Piocerá

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.