Matheus Brum Matheus Brum 31/08/2015

A importância da imprensa esportiva


imprensaCaro amigo (a), hoje vou fazer um texto um pouco diferente. Ao invés de falar sobre esportes ou algum acontecimento futebolístico de destaque do final de semana, vou falar sobre o jornalismo esportivo e os caminhos "obscuros" que ele vem tomando nos últimos tempos.

O mundo de hoje está cada vez mais intolerante. Seja na religião, na política, nas questões sociais, de gênero, ou até mesmo no esporte, há cada vez mais um discurso de ódio presente nas falas da população. E esse discurso interfere diretamente no trabalho do jornalista e nas opiniões que ele expõe.

Todo jornalista esportivo tem seu time do coração. Alguns não têm medo de falar abertamente sobre sua paixão, ao contrário de alguns que preferem "deixar em off". No meu caso, não tenho nenhum problema em falar que sou flamenguista desde criancinha. O problema é que quando um colega da imprensa fala para qual time torce, sofre uma série de ataques caso fale mal de algum time rival ao seu de coração.

Por mais que tenhamos o conhecimento de que a imparcialidade é quase uma utopia, pode acreditar, um jornalista sério nunca vai levar a rivalidade para os textos e/ou microfone. Nosso papel é levar até você nossas informações e comentários acerca do "mundo da bola", e é óbvio que dentro disso, vão haver críticas e elogios, como há em todos os lugares e em todos os temas. Só porque sou flamenguista não quer dizer que não vou falar bem do Vasco, Fluminense, Botafogo ou qualquer outro time do Brasil e do mundo.

Outro problema que sofremos é quando se trata do maldito "jornalismo de incentivo". Justamente por morar em uma cidade de médio porte, com um time que está na Série C, as pessoas acham que temos que "passar a mão" na cabeça do Tupi e não falar mal do clube. Isso não existe! Temos que falar aquilo que é notícia e levar a mais completa verdade para você, que é leitor, ouvinte ou telespectador. Clube e imprensa trabalham juntos e não com um querendo "passar o tapete" por cima do outro.

Como "toda regra tem sua exceção", é claro que há colegas que são antiéticos e que querem apenas fazer crítica pela crítica, levando problemas pessoais para as matérias e/ou comentários. Porém, não pode generalizar isso para a classe toda. A grande maioria se dedica para levar a melhor informação para você, torcedor apaixonado.

Não é minha intenção tentar impor uma visão de mundo moralista. Apenas quero que tenham a noção de que as críticas feitas ao seu time, jogador favorito ou aquele dirigente que admira, são feitas da forma mais profissional possível. Quando há alguma situação ruim, ela deve ser falada e informada. Aliás, é pra isso que estudamos. Exercer um discurso de ódio contra a imprensa não é o melhor caminho para tentarmos melhorar o caos ético e moral que encontramos no mundo.

Outros destaques

1º - Mesmo depois de eliminar o maior rival no meio da semana, o Vasco não consegue se livrar da "urucubaca" que o persegue no Campeonato Brasileiro. Criou as melhores oportunidades contra o Figueirense, mas a bola "teima" em não entrar. Só temos que falar com o Senhor Eurico Miranda que o campeonato está indo para a reta final e a Sibéria está ficando cada vez mais perto.

2º - Bolt assombra mais uma vez em uma grande competição. Voltando a China, "O Raio" vence sem dificuldades as três provas de disputou, os 100 e 200 metros rasos e o revezamento 4x100. Depois de ir mal no Pan, o Brasil repete o fiasco e sai do Mundial apenas com a medalha de prata da Fabiana Murer no Salto com Vara, situação que nos deixa preocupados visando os Jogos Olímpicos.

3º - Num jogo cheio de emoções, Tupi vence Portuguesa pelo placar mínimo e praticamente assegura classificação para as quartas de final da Série C do Brasileiro. Agora na liderança do Grupo B com 27 pontos, Galo enfrenta o lanterna Caxias, no próximo domingo, às 16 horas, no Mário Helênio. Se vencer essa partida, vai para a reta final apenas na dependência de saber qual posição terminará a primeira fase da competição. 


Matheus Brum nascido e criado em Juiz de Fora, jornalista em formação pela Universidade Federal de Juiz de Fora, e desde criança, apaixonado pelo Flamengo e por esportes. Atualmente é escritor do blog "Entre Ternos e Chuteiras", estagiário da Rádio CBN Juiz de Fora e editor e apresentador do programa Mosaico é nascido e criado em Juiz de Fora.

-
Matheus Brum Matheus Brum 31/08/2015

A importância da imprensa esportiva


imprensaCaro amigo (a), hoje vou fazer um texto um pouco diferente. Ao invés de falar sobre esportes ou algum acontecimento futebolístico de destaque do final de semana, vou falar sobre o jornalismo esportivo e os caminhos "obscuros" que ele vem tomando nos últimos tempos.

O mundo de hoje está cada vez mais intolerante. Seja na religião, na política, nas questões sociais, de gênero, ou até mesmo no esporte, há cada vez mais um discurso de ódio presente nas falas da população. E esse discurso interfere diretamente no trabalho do jornalista e nas opiniões que ele expõe.

Todo jornalista esportivo tem seu time do coração. Alguns não têm medo de falar abertamente sobre sua paixão, ao contrário de alguns que preferem "deixar em off". No meu caso, não tenho nenhum problema em falar que sou flamenguista desde criancinha. O problema é que quando um colega da imprensa fala para qual time torce, sofre uma série de ataques caso fale mal de algum time rival ao seu de coração.

Por mais que tenhamos o conhecimento de que a imparcialidade é quase uma utopia, pode acreditar, um jornalista sério nunca vai levar a rivalidade para os textos e/ou microfone. Nosso papel é levar até você nossas informações e comentários acerca do "mundo da bola", e é óbvio que dentro disso, vão haver críticas e elogios, como há em todos os lugares e em todos os temas. Só porque sou flamenguista não quer dizer que não vou falar bem do Vasco, Fluminense, Botafogo ou qualquer outro time do Brasil e do mundo.

Outro problema que sofremos é quando se trata do maldito "jornalismo de incentivo". Justamente por morar em uma cidade de médio porte, com um time que está na Série C, as pessoas acham que temos que "passar a mão" na cabeça do Tupi e não falar mal do clube. Isso não existe! Temos que falar aquilo que é notícia e levar a mais completa verdade para você, que é leitor, ouvinte ou telespectador. Clube e imprensa trabalham juntos e não com um querendo "passar o tapete" por cima do outro.

Como "toda regra tem sua exceção", é claro que há colegas que são antiéticos e que querem apenas fazer crítica pela crítica, levando problemas pessoais para as matérias e/ou comentários. Porém, não pode generalizar isso para a classe toda. A grande maioria se dedica para levar a melhor informação para você, torcedor apaixonado.

Não é minha intenção tentar impor uma visão de mundo moralista. Apenas quero que tenham a noção de que as críticas feitas ao seu time, jogador favorito ou aquele dirigente que admira, são feitas da forma mais profissional possível. Quando há alguma situação ruim, ela deve ser falada e informada. Aliás, é pra isso que estudamos. Exercer um discurso de ódio contra a imprensa não é o melhor caminho para tentarmos melhorar o caos ético e moral que encontramos no mundo.

Outros destaques

1º - Mesmo depois de eliminar o maior rival no meio da semana, o Vasco não consegue se livrar da "urucubaca" que o persegue no Campeonato Brasileiro. Criou as melhores oportunidades contra o Figueirense, mas a bola "teima" em não entrar. Só temos que falar com o Senhor Eurico Miranda que o campeonato está indo para a reta final e a Sibéria está ficando cada vez mais perto.

2º - Bolt assombra mais uma vez em uma grande competição. Voltando a China, "O Raio" vence sem dificuldades as três provas de disputou, os 100 e 200 metros rasos e o revezamento 4x100. Depois de ir mal no Pan, o Brasil repete o fiasco e sai do Mundial apenas com a medalha de prata da Fabiana Murer no Salto com Vara, situação que nos deixa preocupados visando os Jogos Olímpicos.

3º - Num jogo cheio de emoções, Tupi vence Portuguesa pelo placar mínimo e praticamente assegura classificação para as quartas de final da Série C do Brasileiro. Agora na liderança do Grupo B com 27 pontos, Galo enfrenta o lanterna Caxias, no próximo domingo, às 16 horas, no Mário Helênio. Se vencer essa partida, vai para a reta final apenas na dependência de saber qual posição terminará a primeira fase da competição. 


Matheus Brum nascido e criado em Juiz de Fora, jornalista em formação pela Universidade Federal de Juiz de Fora, e desde criança, apaixonado pelo Flamengo e por esportes. Atualmente é escritor do blog "Entre Ternos e Chuteiras", estagiário da Rádio CBN Juiz de Fora e editor e apresentador do programa Mosaico é nascido e criado em Juiz de Fora.

Matheus Brum Matheus Brum 31/08/2015

A importância da imprensa esportiva


imprensaCaro amigo (a), hoje vou fazer um texto um pouco diferente. Ao invés de falar sobre esportes ou algum acontecimento futebolístico de destaque do final de semana, vou falar sobre o jornalismo esportivo e os caminhos "obscuros" que ele vem tomando nos últimos tempos.

O mundo de hoje está cada vez mais intolerante. Seja na religião, na política, nas questões sociais, de gênero, ou até mesmo no esporte, há cada vez mais um discurso de ódio presente nas falas da população. E esse discurso interfere diretamente no trabalho do jornalista e nas opiniões que ele expõe.

Todo jornalista esportivo tem seu time do coração. Alguns não têm medo de falar abertamente sobre sua paixão, ao contrário de alguns que preferem "deixar em off". No meu caso, não tenho nenhum problema em falar que sou flamenguista desde criancinha. O problema é que quando um colega da imprensa fala para qual time torce, sofre uma série de ataques caso fale mal de algum time rival ao seu de coração.

Por mais que tenhamos o conhecimento de que a imparcialidade é quase uma utopia, pode acreditar, um jornalista sério nunca vai levar a rivalidade para os textos e/ou microfone. Nosso papel é levar até você nossas informações e comentários acerca do "mundo da bola", e é óbvio que dentro disso, vão haver críticas e elogios, como há em todos os lugares e em todos os temas. Só porque sou flamenguista não quer dizer que não vou falar bem do Vasco, Fluminense, Botafogo ou qualquer outro time do Brasil e do mundo.

Outro problema que sofremos é quando se trata do maldito "jornalismo de incentivo". Justamente por morar em uma cidade de médio porte, com um time que está na Série C, as pessoas acham que temos que "passar a mão" na cabeça do Tupi e não falar mal do clube. Isso não existe! Temos que falar aquilo que é notícia e levar a mais completa verdade para você, que é leitor, ouvinte ou telespectador. Clube e imprensa trabalham juntos e não com um querendo "passar o tapete" por cima do outro.

Como "toda regra tem sua exceção", é claro que há colegas que são antiéticos e que querem apenas fazer crítica pela crítica, levando problemas pessoais para as matérias e/ou comentários. Porém, não pode generalizar isso para a classe toda. A grande maioria se dedica para levar a melhor informação para você, torcedor apaixonado.

Não é minha intenção tentar impor uma visão de mundo moralista. Apenas quero que tenham a noção de que as críticas feitas ao seu time, jogador favorito ou aquele dirigente que admira, são feitas da forma mais profissional possível. Quando há alguma situação ruim, ela deve ser falada e informada. Aliás, é pra isso que estudamos. Exercer um discurso de ódio contra a imprensa não é o melhor caminho para tentarmos melhorar o caos ético e moral que encontramos no mundo.

Outros destaques

1º - Mesmo depois de eliminar o maior rival no meio da semana, o Vasco não consegue se livrar da "urucubaca" que o persegue no Campeonato Brasileiro. Criou as melhores oportunidades contra o Figueirense, mas a bola "teima" em não entrar. Só temos que falar com o Senhor Eurico Miranda que o campeonato está indo para a reta final e a Sibéria está ficando cada vez mais perto.

2º - Bolt assombra mais uma vez em uma grande competição. Voltando a China, "O Raio" vence sem dificuldades as três provas de disputou, os 100 e 200 metros rasos e o revezamento 4x100. Depois de ir mal no Pan, o Brasil repete o fiasco e sai do Mundial apenas com a medalha de prata da Fabiana Murer no Salto com Vara, situação que nos deixa preocupados visando os Jogos Olímpicos.

3º - Num jogo cheio de emoções, Tupi vence Portuguesa pelo placar mínimo e praticamente assegura classificação para as quartas de final da Série C do Brasileiro. Agora na liderança do Grupo B com 27 pontos, Galo enfrenta o lanterna Caxias, no próximo domingo, às 16 horas, no Mário Helênio. Se vencer essa partida, vai para a reta final apenas na dependência de saber qual posição terminará a primeira fase da competição. 


Matheus Brum nascido e criado em Juiz de Fora, jornalista em formação pela Universidade Federal de Juiz de Fora, e desde criança, apaixonado pelo Flamengo e por esportes. Atualmente é escritor do blog "Entre Ternos e Chuteiras", estagiário da Rádio CBN Juiz de Fora e editor e apresentador do programa Mosaico é nascido e criado em Juiz de Fora.