Inteligência Animal O zootecnista Alexandre Rossi divulga o adestramento inteligente
para cães e outros animais em visita à Juiz de Fora

Renata Cristina
17/10/06

Falar com os animais e estimular um comportamento mais humanizado. Se você se lembra do famoso filme Dr. Dolittle, na história de um médico veterinário, interpretado por Eddie Murphy, que se comunicava com os animais, é possível entender melhor a proposta do zootecnista Alexandre Rossi (foto ao lado), conhecido em todo o país pelo livro Adestramento Inteligente, em sua 13ª edição.

A idéia é simples: adestrar o seu animal de estimação sem transformá-lo em uma máquina. Na verdade, o nome mais correto seria educar e não adestrar. Com isso, ganham importância fatores como a comunicação, o carinho e a compreensão da vida animal. Você não precisa sair conversando com o cão como se fosse uma pessoa, mas pode entendê-lo melhor.

Se o seu cãozinho não te obedece, destrói seu jardim e come suas roupas, há solução. O estudioso do comportamento animal ensina, em seu livro, como tratar de problemas cotidianos com os animais, principalmente com os cães, através de métodos educativos, sem o adestramento formal. Ao contrário do reforço negativo, método que utiliza a dor para treinar o animal, a técnica do adestramento inteligente baseia-se no reforço positivo, estimulando os bichos com recompensas como comida, brinquedos e carinho, quando são tomadas atitudes corretas.

Alexandre Rossi ao lado de seu cão Segundo o zootecnista, "a assimilação do cão é muito mais rápida a partir desses recursos, que podem ser aplicados dentro de casa". Além dessa vantagem, o treinamento é válido para todos animais independentemente da idade, fato que permite a educação em qualquer faixa etária.

Para se ter uma idéia do sucesso da técnica, Alexandre é capaz de adestrar até mesmo um peixe. Conforme o especialista, todos os animais têm capacidade de aprender determinadas funções. "O peixe, ao contrário do que as pessoas pensam, também é inteligente", observa.

Alexandre Rossi na tromba de um
elefante Se você ficou curioso para saber como treinar um peixinho, em quinze dias, eles são capazes de tocar um sino em troca de comida, puxar rolhas no aquário e até identificar as letras do alfabeto. "É só se dedicar durante 20 minutos todos os dias ao treinamento", garante o zootecnista.

O maior exemplo de Alexandre é a cadela Sofia que faz sucesso com o slogan "O cachorro que fala", devido ao aprendizado de uma técnica de comunicação com o seu dono. A cadela é capaz de expressar seus desejos, como "vontade de beber água", "fome", "quero carinho" e "passeio" por meio de botões que reproduzem sons.

A cadela Sofia O treinamento de Sofia começou em um laboratório da Universidade de São Paulo, onde os estudantes desenvolveram um painel que emitia frases, com esses desejos. A partir daí, a cadela foi treinada a reconhecer cada um desses botões, de acordo com as suas necessidades. "Durante um ano, a Sofia escravizou todo mundo do laborátório com muitos pedidos", relembra Alexandre.

Atualmente, a cadela de estimação acompanha o zootecnista em eventos sobre o adestramento inteligente por todo o país. Em Juiz de Fora, a palestra acontece nesta quarta-feira, 18 de outubro, às 19h30, no Teatro Pró-Música.

Dicas para você fazer dentro de casa

Elogie seu cão
Pense no petisco como algo além de um alimento. Assim como o brinquedo, a comida ou o passeio, o petisco é um prêmio por ele ter sido obediente. Elogie o cão ao dar o petisco e ao ato dele comer. Com o tempo ele saberá que receber o petisco marca uma aprovação de seus donos e assim a recompensa terá um valor cada vez maior.

Mantenha recompensas em locais estratégicos
Petiscos e brinquedos devem estar sempre por perto, espalhados pela casa. Se você deixar essas recompensas apenas na área de serviço, por exemplo, o cão pode responder super bem nesse local e ignorar os comandos no restante da casa.

Integre o adestramento no dia-a-dia
É importante integrar os comandos no convívio com o seu cão e exercitá-los ao longo do dia. Por exemplo, sempre que você for fazer carinho, peça para ele sentar, deitar, dar a pata etc. Se você reservar apenas 20 minutos do dia para praticar o adestramento, seu cão pode aprender a obedecer somente durante esse tempo.

Mostre que você é o líder
Pode parecer estranho, mas o cão nos considera membro de sua matilha. Por isso, para ganhar respeito e confiança dele é fundamental que você assuma a liderança. Algumas dicas:

  • Procure andar sempre à frente do seu cachorro. Se você perceber que ele se adianta, mude de direção até que ele perceba que deve prestar atenção em você;
  • Seja sempre o primeiro a entrar em casa ou passar por portas e portões;
  • Se ele pedir algo (como comida, petisco, passeio) sempre peça para ele executar algum comando antes. Assim ficará claro que é ele que está obedecendo, e não você;
  • Não seja violento com ele. Os cães costumam imitar os seus líderes, portanto ele pode passar a usar a violência com você quando quiser reafirmar sua posição.

Fonte: www.caocidadao.com.br

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.