Pombo-correio Ao contrário do que todo mundo pensa, o pombo é mensageiro na vida real

Renata Cristina
23/02/07

Em desenhos animados, ele desperta curiosidade. Voa de um lado para o outro e entrega mensagens, encomendas, além de ser o amigo fiel de seus donos. Também na vida real, o pombo-correio é sinônimo de inteligência. E acreditem: ele sempre retorna ao seu lar, independentemente da distância.

Ao contrário do que muita gente pensa, estes animais não são capazes de chegar a vários destinos, como por exemplo, em diferentes repartições, entregando cartas. Na verdade, essas aves conseguem sempre voltar para o local onde foram criadas.

Daí vem aquela dúvida: como eles eram utilizados nas guerras ou em outras épocas da história? No caso das guerras, os soldados levavam pombos para os locais de combate e enviavam mensagens para o quartel, por exemplo. Para isso, o exército tinha sua própria criação e realizava treinos com os pombos. No período antes de Cristo, há cerca de 1.800 anos, o animal também era usado como mensageiro e levado em expedições e longas viagens.

Características do pombo-correio

Para quem não conhece bem esta espécie de pombo, ela é muito diferente daquela que vemos pelas ruas, em praças e centros urbanos. Robusto, com a asa comprida e o peitoral empinado, ele parece ser o "rei do pombal". É capaz de voar até 800 quilômetros por dia. Some a isto a capacidade de orientação, ainda não explicada cientificamente, mas com três fatores relevantes.

Foto Pombas no Pombal Foto Pombas no Pombal Foto Pombas no Pombal

O primeiro deles é o potencial para identificar pontos de referência. Diferentemente dos seres humanos, os pombos são capazes de enxergar 30 vezes mais. Por isso, quando estão sobrevoando uma aérea, conseguem gravar locais e, inclusive, enxergar longas distâncias. "Há pombos do Rio de Janeiro que reconhecem seus lares quando estão em Barbacena", exemplifica o médico veterinário Gerardo Rodrigues Valle Júnior (foto abaixo), especialista em farmacologia avícola.

Foto Milena e Clara Os pontos cardeais também auxiliam o censo de orientação do pombo-correio. O sol é um grande referencial para esses animais, capazes de nos dar boas aulas de geografia. "Ao meio-dia, essas aves não conseguem se localizar e ficam sobrevoando uma mesma área, só para identificarem seu trajeto", diz Júnior.

Durante a noite, a viagem é interrompida, mas até o entardecer esses pombos podem se utilizar de estrelas e da lua para chegarem aos seus destinos. Na parada, eles aproveitam para dormir, beber um pouco de água e se alimentar.

Outro fator que ajuda na orientação do animal é a chamada "bússola cerebral". O pombo-correio possui próximo de seu hipotálamo, uma região rica em ferrocianina, que interage com o campo geomagnético da terra. Desta forma, alguns pesquisadores acreditam que o potencial de localização do animal pode tornar-se ainda mais aguçado.

Cuidados na criação

Ao adquirir um pombo-correio o primeiro procedimento é registrá-lo na Federação Columbófila Brasileira. Na aquisição do documento, o animal será identificado e ganhará uma anilha, pulseira com o número de registro (foto). Outra opção, é colocar um ship rastreador para identificar chegadas e saídas do pombo, em competições.

Se bem cuidados, essas aves não transmitem doenças, como dizem popularmente. De acordo com Gerardo, o pombal deve sempre estar limpo e, de preferência, ter uma área para o depósito das fezes, sem que haja contato com o animal. "É indicado um fosso, com uma distância pequena, da mesma forma que fazem nas gaiolas", recomenda.

Foto Pombas no Pombal Foto Pombas no Pombal

A alimentação é outro fator importante na criação do pombo-correio. Uma dieta balanceada a base de milho e diversas sementes, como girassol e alpiste, podem ajudar na nutrição destes animais. É importante estar atento a água no pombal e deixá-la sempre fresca e limpa. A indicação do veterinário é de trocá-la, no mínimo, três vezes ao dia.

Para um bom condicionamento físico, principalmente para competições, é necessário um treinamento, como fazem os atletas. Diariamente, são recomendadas duas horas de vôo ao redor de suas casas. Uma na parte da manhã e outra na parte da tarde.

Em Juiz de Fora, há o Clube Columbófilo Asa de Ouro. O telefone de contato é: (32) 3224-6020 ou 3082-0572.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.