Cuidados com os filhotes Excesso de brincadeiras e diversão pode fazer mal ao seu cãozinho

Renata Cristina
16/03/07

A criançada adora brincar com os animais, principalmente, quando se trata de cães bem pequeninos. Elas correm, pulam, puxam o rabo, as orelhas, fazem carinho e se divertem com seus amigos caninos. Até aí, tudo bem, o problema é exagerar no excesso de amor.

Para quem curte desenho animado, deve se lembrar da Felícia, uma personagem do Looney Tunes, que adorava apertar os animais "até" dizerem "Eu te amo". Coelhinhos, patos, cães e gatos passavam aperto com a afetividade expansiva desta menina.

Assim como na ficção, os animais gostam de cuidados moderados. "É importante lembrar que eles são seres vivos e não bonecos. Por isso sentem dor, fome, sede, entre outras necessidades", esclarece o criador de cães e parceiro da Expocães, Humberto Bosser (foto abaixo).

Como escolher o filhote

Na hora de escolher o filhote de cão, os pais devem estar atentos à personalidade de cada raça. Há temperamentos mais tranqüilos, outros mais agitados. Essa pesquisa irá ajudar na convivência do filhote com a família e, principalmente, irá atender as expectativas da criança.

Se você mora em casa e tem filhos quietos, o ideal é procurar um cão cativante, que irá estimular a criança com brincadeiras. O Labrador é um bom exemplo de esperteza, inteligência e alegria. Para quem pretende equilibrar momentos de agitação e calmaria, há raças mais "preguiçosas", como o Basset Hound. Encantados pela garotada, esses cães adoram carinho e têm suas horas de sono intercaladas com passatempos.

Foto Filhotes Foto Filhotes Foto Filhotes

Quem vive em apartamento, deve se preocupar com questões de espaço e higiene. O ideal é optar por raças com pêlos curtos e menos barulhentas. O Basenji é o cão sonhado por todas as mães. Limpinho, sem cheiro, adora os donos e tem pique de sobra para acompanhar as crianças em diversas etapas do crescimento. É também conhecida como a única raça do mundo que não emite sons, ou seja, o seu vizinho vai ficar satisfeito com esta notícia.

Outra opção para quem adora cachorros bem fofinhos, é o Shih-tzu. Com pelagem longa, não é aconselhável para crianças com alergias a pêlo e poeira. Afetuoso, este cão é ideal para quem tem crianças bem pequenas, pois é paciente e caladão. Além da pesquisa de temperamento, é imprescindível verificar quais as vacinas já foram dadas ao cão, se foi feita a vermifugação, entre outros cuidados. "O cão de um bom criador tem menos chances de contrair e transmitir doenças", orienta Bosser.

Raças exóticas

Foto do cão Chinês Qual criança não adoraria ter um animal exótico? Este cãozinho ao lado é o Chinese Crested, originário na China. À primeira vista parece estranho e rabugento, talvez por não possuir pêlos em boa parte do corpo, somente nas patas, parte das costas e da cabeça.

Mas as aparências enganam! Este cão é muito dócil, simpático e contagia todos os que estão ao seu redor. Sempre alegre, o Chinese é ideal para correr e brincar com a criançada! Outra curiosidade da raça: muita gente diz que eles são capazes de cantar e sorrir para as pessoas.

Cuidados com os filhotes

Foto do criador Humberto Bosser Depois de escolher o seu amigo do peito, nada melhor do que conscientizar a criança da importância de cuidar do animal. A delegação de tarefas diárias pode ajudar os pequenos a descobrir as necessidades do cão e desenvolver noções de afetividade, respeito, sociabilidade, entre outros pontos.

Caso haja necessidade de trocar a ração dos filhotes, pergunte ao criador ou ao veterinário se a mudança não ocasionará problemas de saúde. Diarréia, vômito e reações adversas podem "acabar" com a animação dos pequeninos.

Os filhotes precisam de uma rotina, com hora para comer, dormir e brincar. Em casas com muitas crianças, é necessário ressaltar esse ponto, para que o animal não se estresse. "Em situações extremas, os cães pequenos podem chegar à morte, por excesso de atividades", relata o criador.

Nos primeiros dias, após a retirada do filhote da mãe, é indicado que se coloque algum bicho de pelúcia para dormir com o animal. Dessa forma, eles deixam a choradeira de lado, ficam mais calmos e se sentem protegidos pelo "colo materno artificial".

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.