Hotel é opção para cães que não podem viajar com os donos Recomenda-se levar cama, brinquedo, vasilhas de água e ração e não modificar os hábitos do animal para que ele não sinta tanto a ausência dos proprietários

Daniele Gruppi
Repórter
Madalena Fernandes
26/12/2008

Final de ano e férias. Épocas ideais para uma viagem. Na preparação para curtir a temporada surge uma preocupação: onde deixar os animais de estimação. Como nem sempre é possível levá-los, os hotéis especializados são opções que garantem tranqüilidade aos donos e bem-estar aos bichinhos.

Os proprietários de um hotel para cachorro, Marcelo Coelli e Denis Nogueira Pinta, afirmam que nesta época do ano dobra a procura por vaga para hospedar cães. O proprietário de outro hotel, Marcelo Duarte Coutinho, afirma que começa a receber reservas em agosto. "Como ofereço apenas 20 vagas, se não reservar com antecedência não há canil para a hospedagem."

Na hora de escolher o hotel, é preciso tomar alguns cuidados. Coelli recomenda fazer uma visita ao local e avaliar a higiene, a acomodação e se há área para o cão se exercitar. Vale também observar a equipe de profissionais que vai cuidar do animal e se é composta por, pelo menos, um veterinário.

Como pré-requisito para a hospedagem, os hotéis exigem que o cachorro esteja com as vacinas em dia. Coelli cobra também vacina contra gripe. Já Coutinho solicita desvermifugação e medicação contra pulgas.

Quanto à alimentação, os hotéis pedem aos donos que levem as rações em quantidades suficientes para o período de estadia. Ela será dada no horário em que eles a recebem quando estão em casa. Não é aconselhável mudar os hábitos alimentares. "No mercado existe uma enorme variedade de comida para cachorros e cada um está acostumado a um tipo, não há como oferecer todos. O cachorro já está fora de casa, num ambiente que não lhe é familiar. Uma ração diferente pode provocar, por exemplo, uma diarréia", explica Coutinho.

Foto arquivo ACESSA.com Foto arquivo ACESSA.com Foto arquivo ACESSA.com
Ausência do dono provoca estresse no cão

Segundo a veterinária Luciana Carla Ferreira Rocha, na ausência do dono o cão pode ficar estressado. Ela explica que nos primeiros dias o animal não sente tanto porque tudo é novidade, mas ao perceber que o dono não volta, começa a ficar entediado.

Luciana afirma que alguns animais desenvolvem psicoses, ou seja, distúrbios comportamentais. "Alguns deixam de comer, outros ficam lambendo a pata para chamar atenção e podem também desenvolver uma dermatite úmida aguda. Ela nasce de dentro para fora. É emocional. Por isso, pedimos para quem está hospedando observar o corpo do animal."

Foto arquivo ACESSA.com Foto arquivo ACESSA.com Foto arquivo ACESSA.com

Para que o cão se adapte ao ambiente em que vai passar alguns dias, a veterinária recomenda levar cama, cobertor, brinquedo, vasilhas de água e ração, dentre outros objetos. É indicado também deixar uma peça de roupa no canil, pois o animal ao sentir o cheiro da pessoa que lhe é mais próxima vai ter a certeza de que ela vai voltar. "Ele não perde a referência."

Luciana diz que existem tratamentos que ajudam a reduzir a ansiedade do animal. "Quando os proprietários nos comunicam antes que vão viajar e não levarão os cães, avaliamos o medo deles e passamos uma medicação correta, para evitar que eles sintam tanto. Existem cães, por exemplo, que têm medo de fogos de artifícios e chegam a ter convulsões."

O custo de uma diária em um hotel é a partir de R$ 25. Vale autorizar ou não as despesas que podem ser feitas sem o conhecimento prévio e, ainda, deixar o telefone celular ou do local onde estará, caso haja alguma emergência.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.