Mariana de Almeida Mariana prova que a matemática não é um bicho de sete cabeças.
Ela é medalha de ouro na Olímpiada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas

Thiago Werneck
Colaboração
23/04/2007

O grande pesadelo de muitos estudantes, é um passatempo para Mariana Almeida, 13 anos, que é medalha de ouro da 2ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). Foi incentivada pelo pai, que ela começou a se interessar pela matéria. "Comecei a gostar dos números na primeira série, foi quando conheci a matemática. Meu pai sempre me apoiou e motivou a estudar o assunto", conta Mariana.

Aluna da Escola Municipal Adhemar Rezende, no bairro São Pedro, Mariana não deixa a infância de lado. "Brinco com os amigos, vejo TV, passo um tempo no computador e estudo mais antes da prova", revela a estudante.

Mariana dá a dica para os que querem ir bem na escola e, principalmente, em matemática, que é o "terror" de muita gente. "Presto atenção no que o professor fala e faço todos os meus deveres de casa. Dessa forma aprendo a matéria e posso fazer boas provas estudando só um pouco", explica.

Foto ACESSA.com E se o sonho da maioria das crianças é ser jogador de futebol, cantor, artista ou até médico, Mariana quer ser uma grande arquiteta. "Além da matemática, eu gosto muito de desenhar. Na arquitetura vou fazer os dois", explica.

Hoje, na sétima série, ela disputou duas Olimpíadas Brasileiras e já se prepara para competir mais uma vez em 2007. "Eu ganhei uma bolsa onde eu estudo a matéria de 15 em 15 dias na UFJF com professores de lá. Recebo uma ajuda de custo e acabo aprendendo detalhes que vão além da sala de aula. Espero ir bem de novo e quem sabe ganhar mais uma medalha", destaca.

Todos os alunos fazem prova em suas próprias escolas na primeira fase da Olimpíada. Os melhores colocados disputam uma fase final, também em sua cidade, e sua nota concorre com participantes do país inteiro. A expectativa é de que a próxima competição aconteça em agosto desse ano.

Foto ACESSA.com Dentre os cerca de 14 mil participantes em nível nacional, Mariana ficou em 44º lugar, foi a oitava em Minas Gerais e a campeã de Juiz de Fora. A competição envolveu participantes de escolas públicas de todo o país e os cem primeiros ganharam medalha de ouro. Sendo que os alunos são divididos pelas séries em que estão: quinta e sexta competem entre si, do mesmo modo que sétima e oitava séries.

O pai de Mariana, Maurício Rodrigues acredita que a motivação dada aos filhos é essencial para que eles se dêem bem na escola. "Sempre a incentivo e quando ela ganha um prêmio como esse, ela vê o retorno de ser responsável e dar atenção aos estudos. Me sinto orgulhoso e muito bem com as vitórias que a Mariana tem tido n os estudos", diz.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.