Pintura em porcelana exige estudo e paciência A pintura em porcelana é um trabalho artesanal e, além de ser considerada uma terapia, é fonte de renda. Aprenda o passo-a-passo da pintura

Priscila Magalhães
Repórter
25/10/2008

Pigmentos, solvente, pincéis, estudo e muita paciência são necessários para produzir lindas pinturas em peças de porcelana. A professora de pintura em porcelana e vidro Toshiko Tamassaki confessa que não é uma arte fácil de ser aprendida e desenvolvida. Ela está há 30 anos pintando e dá aulas há 20. É ela quem dá as dicas e ensina o passo-a-passo.

A tinta usada na pintura é importada, específica para a técnica, capaz de suportar a queima a mais de 700ºC em um forno também especial. Para dissolver a tinta, comercializada em pó, usa-se um solvente, que pode ser a base de água, óleo de copaíba ou óleo mole, especial para este tipo de pintura.

A professora explica que o tipo de solvente usado para dissolver o pigmento vai influenciar no tipo de líquido usado para limpar os pincéis durante o trabalho. "Se usamos um solvente a base de água, vamos usar água para a limpeza."

Para cada tipo de pintura, o ponto da mistura entre o solvente e o pigmento é diferente. Entretanto, Toshiko dá uma dica importante. Para não se perder o ponto, o artesão deve sempre comparar a textura da tinta com a de um creme dental.

Foto de guardanapo estampado Foto de guardanapo estampado Foto de guardanapo estampado

A escolha do pincel é importante e vai depender do tamanho de cada desenho. A dica da professora é que quanto mais macio ele for, melhor. E o pincel, assim como as tintas, também é específico para esta arte. "Usamos o pincel de pêlo de marta. Ele é bem macio"

A professora diz que, para pintar na porcelana, é preciso que a pessoa tenha uma noção de desenho. As mais experientes vão direto à pintura. Para quem não tem muita habilidade, a solução é riscar a peça, fazendo o desenho desejado. Nesta parte também é necessário usar um lápis próprio para porcelana, já que as peças são levadas no forno.

Depois que o desenho estiver pronto e o pigmento bem diluído, é hora de começar a pintar. "A pessoa tem que deixar a mão bem leve", aconselha ela. Depois que a tinta preencher todo o desenho, é hora de retirá-la em alguns pontos. "É para dar profundidade à pintura. Assim, usamos o branco da porcelana ao invés da tinta branca." Para isso, a professora explica que o mesmo pincel usado na pintura pode ser usado para tirar a tinta. Por isso ele deve estar bem limpo.

Foto de guardanapo estampado Foto de guardanapo estampado Foto de guardanapo estampado

Quando esta fase estiver terminada, a peça pode ser levada ao forno, onde fica por cerca de uma hora e meia. Antes de retirá-la do forno, é preciso deixar esfriar. A peça é queimada mais de uma vez, dependendo do resultado final que o pintor quiser. "A queima é de acordo com o tom das cores pensado para o resultado final. Quanto mais queimar, melhor o trabalho." Para deixar as cores mais fortes, após cada queima, é só passar mais tinta em cima do desenho que já foi pintado.

Para deixar a peça mais luxuosa, uma solução é usar detalhe dourado. É um ouro líquido e ele deve ser colocado antes da última queima no forno.

Toshiko diz que uma dica importante é prestar bastante atenção na hora da pintura e ter sempre a mão bem leve, com movimentos suaves. A professora também diz que não se pode ter pressa para aprender. "São necessários muitos anos de estudo e dedicação, além de paciência." Para ela, o benefício está no prazer da pintura. "É uma terapia."

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.

Arquivo

Ver mais...