Pele bronzeada já pode se beneficiar da depilação a laser Assim como as peles negras, as bronzeadas já possuem um aparelho específico para realizar a redução definitiva dos pêlos

Marinella Souza
*Colaboração
12/12/2008

Vem chegando o verão, e a tendência é que os corpos fiquem cada vez mais dourados e... cabeludos??? Não necessariamente. Para quem está pretendendo aproveitar a proximidade da estação mais quente do ano para se livrar dos indesejáveis pêlos que insistem em crescer pelo corpo, aí vai um alento.

Existe um tipo específico de laser para as peles bronzeadas. E se você está pensando que vai ter que gastar mais por isso, engana-se. A dermatologista Cristina Mansur garante que o preço é o mesmo dos demais aparelhos. Os resultados também não se alteram, mas....

Como nada vem de graça, e para ficar bonita a mulher tem que sofrer, garantir a pele lisinha e bronzeada tem o ônus da dor. "Esse aparelho dói um pouquinho mais do que o outro", alerta a médica.

Isso acontece, porque o laser atua diretamente na melanina da pele. "É como se ele vaporizasse essa melanina, então, quanto mais morena for a pele, mais melanina e mais dor", explica. Apesar disso, o procedimento é seguro e garante uma boa redução dos pêlos. Cristina explica que não se acaba definitivamente com eles, mas depois de algumas sessões, os pêlos que nascem são mais aceitáveis esteticamente.

Riscos e contra-indicações

A técnica em enfermagem Adelaine Dias lembra que apenas pessoas com histórico de alergia ao sol não podem fazer o tratamento. Como explica Cristina, isso acontece "porque o laser repete um dos comprimentos de onda do sol". Portadoras de doenças como lupus eritematoso, vitiligo, psoríase e herpes ativo não podem fazer o tratamento.

"No caso de herpes, é preciso fazer um tratamento antes", diz Adelaine. Cristina ressalta que não se pode aplicar o laser em cima de tatuagens e na barriga da gestante, porque a luminosidade pode incomodar o feto. No entanto, aplicações nas outras regiões estão liberadas para as futuras mamães, garante a médica.

Foto
  de aparelho de depilação a laser Segundo a dermatologista, o número de sessões e o resultado dependem da cor da pele, da região a ser tratada e das reações de cada organismo. Mas é possível definir algumas condições que levam a melhores resultados. "As peles mais claras, os pêlos grossos e superficiais apresentam melhores resultados. Os pêlos loiros, muito finos e de peles muito morenas são mais resistentes e, nem sempre, apresentam bons resultados."

Embora seja um método seguro, como qualquer outro tratamento, a depilação a laser oferece alguns riscos. Mas Cristina garante que são todos controlados e não há risco de seqüelas definitivas. "Em alguns casos raros podem ocorrer edemas, crostas, pústulas, bolhas e manchas transitórias na pele que evoluem sem deixar seqüelas definitivas", explica.

Também há relatos de algumas pessoas que reclamam do aumento de pêlos depois das primeiras sessões. Cristina informa que a conduta, nesses casos, é continuar fazendo o tratamento, aumentando a energia aplicada na região.

Não há uma idade limite para começar a fazer a depilação a laser. "Meninas de sete ou oito anos que já apresentem pêlos no buço ou na perna já podem fazer. O ideal é que se comece o tratamento o quanto antes, porque quando os pêlos ficam brancos e muito finos não tem jeito", diz.

Os preços

Segundo Adelaine o preço cobrado é correspondente ao número de disparos somados à taxa de calibragem do equipamento. Portanto, quanto mais áreas a serem tratadas, menor o preço. Esse valor está diretamente relacionado ao tamanho de cada área, ao tipo de pêlo e aos números de disparos necessários para tratá-la.

"Não para definir um preço fixo, mas uma área pequena como o buço, por exemplo, fica, em média, em R$ 75. Se a pessoa quiser fazer o corpo todo, por exemplo, fica mais ou menos em R$ 1.500", comenta.

*Marinella Souza é estudante de Comunicação na UFJF

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.