Ofertas de depilação a laser em sites de compra coletiva lançam um alertaPreocupação deve ir além do preço baixo, pois a escolha por clínicas que não possuem profissionais capacitados pode causar queimaduras ou manchas pelo corpo

Victor Machado
*Colaboração
9/6/2011
Mulher sendo depilada

Os sites de compras coletivas têm se tornado um atrativo para os brasileiros. Entre os produtos e serviços disponibilizados com descontos que podem chegar a 90% está a depilação a laser. Mulheres, atraídas pelo preço baixo, buscam cada vez mais esse procedimento. Entretanto, especialistas alertam para o cuidado durante a escolha e garantem que o baixo custo não deve ser a única preocupação.

De acordo com a dermatologista Lúcia Lana, o paciente precisa ter o cuidado para qualquer tipo de tratamento com luz. Ela afirma que deve se atentar ao fato da clínica possuir ou não um médico para acompanhar os procedimentos. "Vivemos em uma geração de compras coletivas e as pessoas se preocupam apenas com o preço. Mas é importante ter um médico responsável no local para que ele acompanhe e oriente."

Lúcia comenta que alguns estabelecimentos que não possuem o profissional capacitado adquirem o laser e oferecem pacotes tentadores para os clientes, só que a aplicação de forma inadequada pode trazer consequências desastrosas para o comprador. "É comum o paciente ver disponível a oferta de depilação a laser e logo comprar. Depois ele percebe que o local não tem uma higiene adequada, ou que o procedimento não é tão eficiente para ele. Isso pode causar consequências graves para a pessoa."

Perigos

Entre as consequências estão as queimaduras. Lúcia afirma que qualquer procedimento com luz, seja o laser ou a luz pulsada (ao contrário do laser, possui vários comprimentos de onda, a luz é branca e permite multiplicidade de usos), pode causar queimaduras em casos de escolha inadequada. "A depilação com luz não queima o pelo. Ela é absorvida pela melanina que existe dentro dele. Se a luz for muito forte ou o procedimento aplicado de forma errada, a pele, que também possui melanina, pode absorver essa luz e queimar." Por isso, o médico responsável deve dizer qual e como é o procedimento ideal para cada tipo de pele.

Segundo a farmacêutica Carolina Zinato, pessoas de pele mais clara devem ter o cuidado de não estar bronzeadas para fazer a depilação, já as de pele negra precisam usar a luz com uma intensidade menor. "Como a melanina absorve a luz, a pele mais escura ou bronzeada é sinal de uma absorção maior. Por isso, a intensidade tem que variar e o número de seções também. Isso evita queimaduras e manchas."

Tipos de luz

De acordo com Carolina, os procedimentos mais comuns no mercado utilizam a luz de iodo, luz fracionada e alexandrita. A luz de iodo é o laser e é mais usado através do aparelho Light Sheer. Esse procedimento tem um resultado mais rápido, por ser mais concentrado. "O feixe de luz é mais concentrado e faz com que seja mais eficiente e realizado em menos seções", comenta. A luz pulsada é mais dispersa e acaba exigindo mais seções. O procedimento é mais caro. Já a alexandrita não funciona com disparo do laser. A depilação é feita através do aquecimento da pele e acaba sendo mais dolorida.

Valor e número de aplicações

Carolina afirma que o preço médio das aplicações é de R$ 200. No entanto, esse valor sofre variação dependendo da região do corpo, do tipo de pelo, entre outros fatores. Lúcia Lana orienta que o intervalo entre duas aplicações seja de 40 a 60 dias. "É importante que o pelo esteja no estágio de ser destruído novamente. Já deve estar com a raiz para que o resultado seja satisfatório e não cause problemas para o paciente." Indica-se de cinco a seis sessões.

*Victor Machado é estudante do 7º período de Comunicação Social da Faculdade Estácio de Sá

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.