Quinta-feira, 03 de janeiro de 2008, atualizada às 19h08

Veja o que fazer para pagar as contas sem se enrolar durante o ano


Priscila Magalhães
Repórter

Janeiro é o mês das férias, mas também é o mês de pagar as tradicionais contas e impostos, como IPTU, IPVA, matrículas e material escolar. Será que sobra dinheiro para fazer aquela viagem em família? Como pagar todas essas contas, ou, pelo menos, começar a pagar, sem ficar endividado?

Algumas pessoas são mais controladas e guardam o 13º para acertar as contas. Outras, entretanto, não abrem mão daquela tão esperada viagem e acabam parcelando as dívidas para serem pagas ao longo do ano.

Mas será o que é melhor? Parcelar as contas e aproveitar as férias ou pagar tudo de uma vez e aproveitar os descontos? Para o economista Guilherme Ventura, tudo depende da situação financeira de cada pessoa.

No caso do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), o economista tem duas alternativas. "Se o desconto para pagamento a vista for de 3% e a pessoa já estiver em débito no cheque especial, por exemplo, é melhor que o proprietário do carro pague o imposto parcelado, pois assim ele vai assumir uma dívida de 3,11% ao mês, muito mais baixa que o juros do banco".

No caso de o proprietário ter um investimento em fundo de renda fixa, por exemplo, é mais interessante que ele pague o IPVA a vista. "Neste caso, o investimento dele está rendendo em torno de 1% ao mês. Então é melhor pagar a vista para não fazer uma dívida mais alta (no caso 3,11%) do que o seu investimento", explica Guilherme.

Para o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), o economista diz que vale a pena pagar a vista para aproveitar o desconto. "Como para este imposto os descontos são mais agressivos, é muito interessante que o pagamento seja feito a vista".

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.