• Assinantes
  • Autenticação
  • Negócios

    Poupar o 13º pode ser importante para fim de ano com crise Comércio espera aumentar as vendas, mas economistas alertam que gastos dos consumidores aumentam no início do ano que vem


    Guilherme Arêas
    Repórter
    26/11/2008

    O final de ano sempre foi motivo para a complementação da renda com a chegada do tão esperado décimo terceiro salário. Mas, a crise econômica mundial aumentou a taxa de juros, diminuiu o poder de compra e mudou a forma como o consumidor lida com as suas despesas.

    Diante de tal cenário, uma pergunta ronda a cabeça dos trabalhadores: o que fazer com o décimo terceiro? A equipe do Portal ACESSA.com foi às ruas conferir como o juizforano pretende gastar o dinheiro. A primeira parcela deve ser paga no dia 30 de novembro. Como a data cai em um domingo, possivelmente, algumas empresas devem acertar já nessa sexta-feira, dia 28 de novembro para não perderem o prazo.

    A auxiliar de escritório Patrícia Mendes já tem destino certo para o salário: o pagamento das dívidas. Mas ela garante que já está tudo planejado desde o início de novembro. "Eu já fiz as dívidas pensando em pagá-las em dezembro e janeiro com o décimo terceiro. Vai até sobrar um pouco para as compras de Natal", programa a auxiliar.

    Já a vendedora Valéria Ramos Pereira ainda não sabe o que fazer com o décimo terceiro. Mas garante que, assim como faz todos os anos, uma parte será destinada às campanhas de Natal de instituições de caridade.

    O vendedor ambulante Adilson de Oliveira Júnior não conta com o benefício, já que não trabalha com carteira assinada. Mas, nem por isso ele deixa de aumentar a renda no final do ano. "As vendas agora nessa época de natal aumentam muito para mim. Isso compensa o fato de eu não ter o décimo terceiro. Na verdade, eu fico com parte do pagamento das outras pessoas", brinca o vendedor.

    Dicas para um final de ano sem surpresas desagradáveis

    Para a economista Dione Fraga o pagamento extra deve ser dividido em três partes: uma para o pagamento de dívidas, outra para poupar e a terceira para gastar.

    "Eu imagino que, este ano, por precaução, os brasileiros vão gastar menos. Em janeiro sempre existem muitas promoções e as pessoas podem adiar um pouco as compras. Muitos consumidores gostam de dar presentes pelo simples fato de presentear. Essa fruição individual das pessoas pode fazer com que elas comprem coisas que não vão conseguir pagar mais para frente", explica.

    Ainda, segundo a economista, os consumidores devem ficar atentos às despesas extras no início do ano que vem, como Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). Usar o décimo terceiro salário para quitar esses impostos pode ser um bom investimento.

    Já para quem prefere gastar boa parte do salário com compras típicas do fim de ano, a dica é se esforçar para fazer os pagamentos à vista, já que as taxas de juros estão altas para a compra financiada. "Além de comprar à vista, tem que pedir desconto. Os lojistas estão com medo de ficar sem capital de giro. É hora de barganhar", orienta a economista.

    Comércio espera aumento de 10% nas vendas

    A crise econômica parece não assustar os comerciantes juizforanos. A expectativa do presidente da Câmara de Dirigents Lojistas de Juiz de Fora (CDL), Vandir Domingos da Silva, é que haja aumento acima de 10% nas vendas do comércio este ano.

    Uma pesquisa realizada pela CDL revela que o consumidor juizforano deve gastar, em média, de R$ 50 a R$ 100 em compras neste final de ano. O levantamento apontou, ainda, que 65% dos empresários entrevistados esperam um aumento do faturamento em relação ao mesmo período de 2007.

    A previsão é de que as vendas aumentem com o horário especial de funcionamento do comércio, que começa no próximo dia 6 de dezembro, sábado.

    A Melhor Internet Está Aqui

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.