Cresce procura por repelentes no comércio Comerciantes de farmácias e lojas de produtos naturais comemoram aumento nas vendas


Guilherme Arêas
*Colaboração
05/09/2007

Com a onda de pernilongos que Juiz de Fora enfrenta nos últimos dias, os consumidores estão recorrendo aos repelentes e produtos para afastar os pequenos inimigos. Quem comemora são os comerciantes de farmácias e lojas de produtos naturais, que já sentem um aumento nas vendas.

Na drogaria onde trabalha a farmacêutica Renata Pinhati o número de repelentes líquidos vendidos nos últimos dias aumentou de forma considerável. "Só no mês passado vendemos 14 unidades de repelentes, o que é um número acima da média", comenta.

De acordo com a farmacêutica, apesar de as farmácias mineiras não terem autorização para vender aparelhos ou refis repelentes, o número de pessoas que procuraram esse tipo de produto no estabelecimento também aumentou.

Foto de uma vela de andiroba Para quem prefere uma opção mais natural no combate ao pernilongo, as opções são as velas repelentes.

Em uma loja de produtos naturais do centro da cidade, os vendedores afirmam que cerca de 30 velas de andiroba (foto ao lado), produzidas e comercializadas pela Fundação Oswalvo Cruz, foram vendidas desde segunda-feira, 03 de setembro.

Já na loja de produtos naturais do comerciante Nelson Nicolau Reis, também no centro de Juiz de Fora, o sucesso são as velas de citronela, planta aromática reconhecida pelo seu poder repelente. O comerciante também percebeu o aumento das vendas desse tipo de produto e acredita que o aumento dos insetos está ligado ao acúmulo de lixo na cidade.

Foto de uma vela de citronela A autônoma Olívia Mazzoni Freitas é consumidora das velas de citronela há bastante tempo, mas, neste ano, ainda não tinha comprado até então.

"Acho a vela muito eficiente. Meu filho é alérgico, mas não apresenta problema algum com a citronela, que deixa um cheiro leve e agradável. Eu acendo a vela quando chego em casa e apago antes de dormir", afirma.

Apesar das divergências em relação à eficácia dessas velas, os consumidores tentam de tudo para acabar com esses mini-vampiros chamados Culex quinquefasciatues, os pernilongos comuns, e ter uma noite de sono mais tranqüila.


*Guilherme Arêas é estudante de Jornalismo na UFJF

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.