"Atenção freguês! É a raquete de matar pernilongo" Quem passa pelo calçadão da Rua Halfeld não se cansa de escutar essa frase de vendedores. Raquete tem sido última saída contra pernilongo


Thiago Werneck
Repórter
16/10/2007

Se em setembro era a venda de repelentes que estava em alta em Juiz de Fora, a moda agora é a "Raquete de matar pernilongo". São poucos os que andam pelo calçadão da rua Halfeld e pela rua Marechal Deodoro sem ver um vendedor anunciando: "É a novidade do momento! A raquete de matar pernilongo!" e com um pedaço de metal provoca um choque no centro do material, que é o responsável pela morte do inseto.

O preço varia entre R$ 12*, para as que funcionam a pilha, e R$ 15*, para as que têm bateria recarregável em qualquer tomada. "Já são três noites sem dormir por causa desses pernilongos. Não há remédio que dê jeito nesses bichos. Hoje vou matar é uns mil desses insetos", brinca o mecânico Rogério Cândido Oliveira enquanto comprava a raquete.

Quem tem a raquete em casa garante que vale a pena. O representante de vendas, Diego Madeira Corrêa, destaca que a vingança contra os pernilongos é a melhor qualidade do produto. "Lá em casa tem até briga para ver quem vai usar a raquete. O melhor mesmo é descontar a raiva que os pernilongos fazem a gente passar", conta.

"Resolver o problema completo não dá, porque tem que ficar procurando os insetos, mas diminui bem. Eles morrem na mesma hora que a gente aperta o botão", relata Diego. O bom funcionamento da raquete também é apontado pelo designer, Lúcio Ângelo. "Só dá para ouvir os estalos deles morrendo. Vira uma diversão dar choques e ouvir os estalos", destaca.

Boas vendas
Foto de uma vela de andiroba Os vendedores chegam a vender de 20 a 60 raquetes por dia, dependendo da forma e tempo de trabalho. Em uma loja da cidade que vende as raquetes os resultados são ainda melhores. A balconista, Delmara Cristine, conta que o estoque tem acabado no mesmo dia em que chega. "De umas duas semanas para cá aumentou muito as vendas e não tem durado mais de duas horas nossas raquetes", conta.

A venda da raquete já acontece há três meses na loja, mas só esquentaram depois que vendedores foram para as ruas comercializar os produtos. "Não pedimos para ninguém vender para nós. Cada uma delas custa R$ 15* e em atacado sai R$ 10,50* a unidade, para quem leva mais de dez raquetes. E vendemos mais aqui é em atacado", revela Delmara.

De acordo com o vendedor, Cristiano Antônio Coelho (foto abaixo), hoje, dia 16 de outubro, há cerca de 30 pessoas comercializando as raquetes no centro da cidade. "Tem muita gente vendendo o produto. Eu busco direto do Rio de Janeiro. Mas a maioria deles tem comprado em uma loja da cidade para revender. Aqui em Juiz Fora só um estabelecimento vende o produto", afirma. Para os interessados, é fácil, no centro da cidade há várias pessoas vendendo o produto.

Como funciona a raquete

Foto de uma vela de andiroba O funcionamento da "Raquete que mata Pernilongo" é simples. É só apertar um botão vermelho que fica no cabo que ela dá o choque. Cabe ao usuário virar um caçador de pernilongos e mosquitos e sair usando sua raquete. Elas podem ser encontradas nas cores vermelha, azul, amarela e verde.

Cristiano ressalta que não há riscos de choque. "A parte que gera eletricidade está bem encapada e nossa mão não chega encostar nela. Só é perigoso para crianças mais novas que tem o dedo muito fino e que pode ultrapassar e tela de proteção", alerta.

Segundo o vendedor, a bateria dura em média quatro dias, para depois precisa ser recarregada. Elas são mais as mais procuradas do que as que funcionam na base de pilha.

*Preços fornecidos no dia 16 de setembro de 2007

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.