Sexta-feira, 26 de outubro de 2007, atualizada às 11h43

Chuva aquece vendas de sombrinhas e guarda-chuvas em Juiz de Fora


Renata Solano
*Colaboração

O mês de outubro trouxe chuva para a cidade e os vendedores ambulantes, no centro, já registraram aumento na venda de sombrinhas e guarda-chuvas. Segundo o vendedor, Márcio Carneiro, com a mudança do tempo o que mais vende são objetos de proteção contra a chuva. Para atrair consumidores, principalmente do sexo feminino, ele não perde tempo e cria uma frase específica: "Olha a sombrinha! Não molhe o cabelo!".

O vendedor conta ainda que, se chove o dia inteiro e a fiscalização não "atrapalha", ele consegue vender, em média, 40 sombrinhas e guarda-chuvas por dia. O custo do objeto varia de acordo com o tamanho e a qualidade do material de confecção. Segundo Márcio, as sombrinhas podem custar entre R$ 5** e R$ 10**, já os guarda-chuvas variam entre R$ 10** e R$ 15**.

Cerca de 25 vendedores ambulantes estão nas ruas da cidade com o produto e alegam que a qualidade é boa, por isso, não quebram. "São de mola, aí pode ventar que elas resistem", completa Márcio.

**Os preços foram fornecidos em 26 de outubro de 2007

Enquete
Você já comprou ou compraria uma sombrinha no camelô?
      Sim
      Não
   

ATENÇÃO: o resultado desta enquete não tem valor de amostragem
científica e se refere apenas a um grupo de visitantes do Portal ACESSA.com

*Renata Solano é estudante de Comunicação Social da UFJF



Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.