Venda de materiais de construção aumenta 15% em JF Crescimento do setor da construção civil reflete diretamente nas vendas das lojas de Juiz de Fora que esperam um 2008 ainda melhor



Thiago Werneck
Repórter
17/01/2008

O setor da construção civil segue o ritmo do aumento da procura de imóveis em Juiz de Fora. As lojas de materiais para acabamento e acessórios para o setor comemoram as altas e conquistam aumentos de até 15% no lucro anual.

A alta só não é maior porque a maioria das construtoras compram azulejos e pisos direto das fábricas. Mas a venda de novos apartamentos estimula a venda dos antigos, que muitas vezes são reformados pelo novo proprietário. Esse lado do mercado, junto com as casas em condomínios fechados fortalecem as vendas dos estabelecimentos locais.

O gerente de uma loja de material de construção, Guilherme Novaes (foto abaixo), afirma que os materiais de luxo são os que mais têm impulsionado as vendas. "Nossos clientes têm procurado muito valor agregado. Isso faz com que o lucro aumente já que eles são mais caros do que os usuais".

Para ficar com a casa ou apartamento novo dentro da moda, os pisos de porcelanato de tamanho 60x60cm são a opção correta. Há um ano no mercado da cidade, eles valorizam o imóvel e já viraram a cabeça dos consumidores. "O pessoal gosta mais por causa do brilho e quanto maior for a peça, melhor. Ele é o 'bambambam' das vendas", brinca.

Foto de bonecos Tanto luxo pesa no bolso, quanto maior, mais cara é a peça. Isso porque "dá mais trabalho fazer um piso de 60x60, mas a resistência e o material são os mesmos", o que muda é a questão da estética.

A venda de ferramentas e aditivos para construção civil também deram bons lucros a uma empresa que vende esse tipo de material. "O ano de 2007 foi um ano maravilhoso e esperamos que 2008 seja ainda melhor", diz o gerente de compras Joaquim Luiz de Souza.

O crescimento nas vendas, no último ano, foi de 15% e o maior número de prédios que estão sendo construídos em Juiz de Fora é um dos responsáveis pelo sucesso. "Sem dúvida, indiretamente esse fator impulsiona nossas vendas e nos deixa com as melhores expectativas possíveis para os próximos meses", diz.

O bom rendimento é sinal de investimentos pela frente. A loja em que Guilherme trabalha, por exemplo, deve abrir duas franquias em outras cidades neste ano. "Essa é uma aposta em 2008. A expectativa é de que aconteça novo crescimento no setor", diz.

Mas enquanto 2008, está só começando as lojas só tem queda nas vendas nesse início de ano. Joaquim lembra que muitas pessoas estão viajando e que por isso o mercado fica desaquecido. "Entre 20 de dezembro e 10 de janeiro as vendas chegam a cair 30%". Na loja de Guilherme, a percepção é a mesma. "O movimento nesses primeiros dias do ano está bem mais fraco", confirma.

Foto de bonecos Foto de bonecos Foto de bonecos

Com os azulejos pequenos ficando para trás (tamanho igual ao da foto acima à esquerda), são os arquitetos de Juiz de Fora que estão aproveitando mais uma área no mercado de trabalho. "Muitas pessoas fazem suas compras de material de construção acompanhadas de um especialista da área", conta Guilherme.

Os arquitetos ajudam nas escolhas da quantidade, estética e qualidade do material. De acordo com Guilherme, o dinheiro gasto para contratar um profissional com essas qualidades é compensado na hora de fazer as compras. "Quem faz isso economizando na quantidade do material e leva os de valores agregados deixando a caso mais bonita", avalia.

Artigos como banheiras de hidromassagem tem sido mais procurados e Guilherme acredita que a maior procura de artigos de luxo também envolva o olhar do arquiteto. "Ele quer fazer um trabalho bonito porque é o nome dele que está em jogo. Isso acontece muito nas casas construídas em condomínios fechados de Juiz de Fora. Esse é um ramo que cresce muito na cidade", completa.


Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.