Segunda-feira, dia 11 de fevereiro de 2008, atualizada às 09h30

Comerciantes esperam aumento de 30% nas vendas de peixe durante a Quaresma e Semana Santa


Renata Solano
*Colaboração

Com início na quarta-feira de cinzas, a Quaresma sempre faz com que os consumidores procurem mais pelos peixes. Por isso, a expectativa de aumento das vendas segundo o peixeiro Onício Horácio é de até 30% em relação aos outros dias do ano.

"Já sentimos uma maior procura desde o final do carnaval, mas sempre aumenta na Semana Santa em si", comenta Onício. Segundo ele, o preço do peixe não sofre aumento por causa da procura, mas sim por causa da oferta. "Se a pesca foi fraca, o preço sobe, mas se foi boa, independente das festividades, o preço continua o mesmo", afirma.

Na peixaria onde trabalha, Onício comenta que o peixe mais barato é Cavalinha que custa entre R$ 3,50** e R$ 4,80 o quilo. Os mais caros são Minguado e Badeja, que variam entre R$ 30** e R$ 40**.

Já o Bacalhau, teve queda em seu preço. Segundo o vendedor de uma loja de frios, Marcelo Silva, o preço do peixe teve uma redução de 10% em relação ao ano anterior por causa da baixa cotação do dólar. O preço médio desse peixe varia entre R$ 39** e R$ 60**.

Por que comer peixe?

Nem todo mundo é católico e, muitos dos que são católicos não estavam respeitando a abstinência de carne durante o período da Quaresma, por isso, a própria Igreja mudou seu regulamento.

Houve uma época em que era proibido comer carne durante toda a Quaresma. Depois, a proibição passou apenas para as quartas e sextas-feiras do período. "Agora, ela se resume à quarta-feira de cinzas e à sexta-feira da paixão", afirma o teólogo João Justino de Medeiros.

*Renata Solano é estudante de Comunicação Social da UFJF

*Os preços foram fornecidos em fevereiro de 2008 em uma loja de Juiz de Fora

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.