Quarta-feira, dia 22 de abril de 2009, às 16h11

Inadimplência no comércio aumenta 3,8% no primeiro trimestre em Juiz de Fora

Guilherme Arêas
Repórter

A inadimplência dos consumidores juizforanos aumentou 3,8% nos meses de janeiro, fevereiro e março deste ano, em relação ao primeiro trimestre de 2008. Os dados divulgados pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Juiz de Fora (CDL/JF) mostram que as consultas ao Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) caíram 2,09% em relação a 2008, indicando uma redução nas compras.

O aumento da inadimplência segue a tendência apresentada durante todo o ano de 2008, quando o número de consumidores em débito cresceu 9,23%, mais de quatro pontos percentuais acima da média nacional, de 4,8%.

O presidente do CDL, Vandir Domingos, acredita que o aumento da inadimplência no início do ano tem explicação na falta de planejamento para o pagamento de despesas, como matrícula e material escolar, além dos impostos com vencimento nessa época.

Lojistas de olho nos consumidores

Para tentar diminuir o número de juizforanos que não honram as dívidas com o comércio, a CDL disponibiliza uma novidade para os lojistas associados. Desde o dia 15 de abril está em funcionamento o Decisor, um programa que faz uma varredura on-line em 23 bancos de dados em busca de informações sobre o cliente. Segundo Vandir, a vantagem é que o sistema demora cerca de 30 segundos para realizar a pesquisa.

Entre os diversos dados, o programa verifica a situação do CPF, confere o endereço do cliente na operadora de telefonia, compara a renda informada no ato da compra com a declarada no Imposto de Renda à Receita Federal, verifica no Detran se há veículos em propriedade do consumidor e faz a tradicional consulta aos dados do SPC.

Como o nome sugere, o Decisor tem o objetivo de nortear a decisão do lojista de conceder ou não o crédito ao cliente. "O lojista vai determinar qual política de crédito vai oferecer a cada um, desde uma política mais simples até uma mais rigorosa", explica o superintendente da CDL, Carlos Fernandes.

O superintendente acredita que o sistema seja uma garantia de segurança para o lojista e de economia para o cliente, já que permite que as lojas retomem o crediário com mais confiança. A medida, de acordo com o superintendente, também é um estímulo ao relacionamento entre vendedor e comprador, na proporção em que a loja passa a conhecer o perfil do cliente. "A maioria das lojas que aceitam só o cartão de crédito não têm um banco de dados do cliente. O Decisor vem subsidiar as vendas a prazo, mas com segurança para ambos."

A expectativa é de que o sistema esteja funcionando com a capacidade total até o início do próximo mês.

Os textos são revisados por Madalena Fernandes

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.