Sexta-feira, 23 de janeiro de 2015, atualizada às 18h11

Lojistas esperam crescimento de 10% na venda de uniformes escolares

Angeliza Lopes
Repórter
material

Início de ano, além das listas de material escolar, matrícula e mensalidades, os pais também precisam se preocupar com a compra de novos uniformes escolares, antes de retornar às aulas. Mas, mesmo faltando uma semana para o começo do ano letivo, os estabelecimentos não notaram grande procura. O gerente de uma loja de uniformes na rua Marechal Teodoro, Ary Vamberto de Ornelas, afirma que os pais acabam deixando para última hora. A expectativa é que as vendas cresçam em torno de 10%, comparado com o mesmo período do ano passado. "Muitos colégios mudaram os modelos das camisas neste ano, por isso esperamos uma procura maior. O Viana Júnior, por exemplo alterou toda sua linha, do pré-escolar ao ensino médio", explica.

Os preços também passaram por alterações, que para a bancária Daniela Yeber foi significativo, já que precisou comprar para suas duas filhas, de quatro e seis anos, que mudaram de colégio neste ano. "O preço está mais alto. Como precisei comprar tudo novo, tive uma despesa bem maior". Ary acrescenta que os valores tiveram um ajuste de 5%, devido o aumento no preço da linha, matéria-prima, mão de obras, e, principalmente, na energia elétrica.

Já a gerente de outra loja no Shopping Marechal, Maria Conceição Faza, afirma que seu diferencial é manter o preço de 2014. "Muitos pais estão à procura de preço, por isso optei por mantê-lo". Ela conta que as vendas ainda estão fracas, mas espera que semana que vem a demanda cresça em 80%. O comerciante Alex de Souza Pereira também comentou que sentiu a diferença de preço, e estima que está pagando em torno de 10% a 15% a mais que no ano anterior.

Segunda a gerente, as peças mais vendidas são os conjuntos de verão, que são camisas de manga, camisetas e shorts. "Algumas escolas autorizam as crianças vestirem camisetas e shorts nas salas. Mas outras mais conservadoras, como o colégio Santa Catarina, mantêm estes modelos apenas para a educação física", completou Conceição.

De acordo com Ornelas, os pais sempre deixam para fazer as compras nas últimas horas. "Na próxima sexta-feira teremos filas de pais querendo comprar uniformes. Alguns esperam a loja abrir na segunda para comprar e vestir a criança antes do primeiro dia de aula", relata.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.