Juiz de Fora - MG

Sexta-feira, 27 de junho de 2014, atualizada às 15h47

Tarcísio Delgado anuncia candidatura ao Governo de Minas

Eduardo Maia
Repórter
Tarcísio Delgado

Depois de uma longa discussão envolvendo nomes como o ambientalista Apolo Heringer e o deputado federal Júlio Delgado, o PSB definiu na última quinta-feira, 26 de junho, o nome de seu candidato ao Governo de Minas: o ex-prefeito de Juiz de Fora, Tarcísio Delgado. Em coletiva nesta sexta-feira, 27, realizada na Câmara Municipal, ele apresentou seu nome à imprensa.

Aos 78 anos, Delgado afirma que está preparado para viajar pelo estado e entrar na corrida pelo Palácio da Liberdade. "Estou pronto para viajar pelo estado, já recebi convites para ir a Uberlândia e também a Montes Claros. Temos até o final da Copa para traçar uma estratégia e conversar sobre o nosso plano de governo. Eu não tinha a pretensão de voltar à vida pública, mas o partido viu que eu tinha o melhor perfil. Não poderia dizer não nessa hora e deixar que o PSB entrasse numa coligação indesejável", afirmou.

Tarcisio Delgado foi prefeito de Juiz de Fora entre 1983 e 1989 e entre 1997 a 2005, pelo PMDB. Começou a carreira política como vereador em Juiz de Fora, foi deputado estadual em Minas Gerais e deputado federal por dois mandatos. Em outubro do ano passado, filiou-se ao PSB, um ano após deixar o PMDB para apoiar a candidata Margarida Salomão (PT) à Prefeitura de Juiz de Fora.

Segundo ele, o PSB tinha que "levantar a sua bandeira" no primeiro turno, antes de ingressar em qualquer aliança. "O partido tem que ter candidato no primeiro turno, senão ele acaba. Nem que seja para depois negociar aliança. Existem divergências internas, mas recebemos um grande apoio pelo meu nome e hoje posso dizer que estou orgulhoso por ser o candidato do PSB ao Governo de Minas."

A decisão partiu de uma comissão formada por 17 integrantes do Partido Socialista Brasileiro (PSB) que desde a última segunda-feira, 23, conversava para estabelecer uma estratégia. Duas hipóteses figuraram como as principais, como a de entrar na aliança pelo nome do ex-ministro Pimenta da Veiga (PSDB), que já conta com 20 partidos, ou lançar o nome próprio, que foi definido por volta das 20h da última quinta.

Presente na coletiva, o filho do ex-prefeito, deputado Júlio Delgado, era o nome mais cotado para o posto e alegou que não podia comprometer sua atuação na Câmara dos Deputados para se dedicar à campanha. "Estamos num processo de relatoria do caso do deputado André Vargas (sem partido - PR) que envolve uma discussão muito importante, assim como a CPI da Petrobras. Não estaria à disposição do partido em Minas para entrar nesta disputa e o melhor nome que se dispôs a entrar foi o do meu pai", explica. Júlio será candidato à reeleição pela Câmara dos Deputados.

Construção de alianças

A construção de alianças partidárias para fortalecer a candidatura do ex-prefeito está a todo o vapor no estado, já que o prazo para apresentar a candidatura se encerra na próxima segunda-feira, 30. Até o momento já está certo o apoio do Partido Pátria Livre (PPL) e Partido Humanista da Solidariedade (PHS). No entanto, Júlio revela que há possibilidades de siglas como o PPS aderirem à candidatura de Delgado.

"Ainda estamos conversando para trazer para o nosso lado as siglas que apoiam a candidatura de Eduardo e Marina no âmbito nacional. Temos siglas de ambos os lados adversários, mas sabemos das dificuldades já que o poder de cooptação é muito grande", reconhece.

À aliança com estes partidos estão condicionados os postos de vice na chapa encabeçada por Tarcísio, assim como a candidatura à vaga no Senado Federal. "Até segunda-feira temos que apresentar os nomes, tudo está sendo feito de forma muito rápida, mas, até lá, já teremos definidos os nomes, com base nas conversas com estes partidos".

Sobre os conflitos com aliados da Rede Sustentabilidade que vem se estabelecendo nas últimas semanas, devido à aliança do PSB com o PSDB em São Paulo e com o PT no Rio de Janeiro, Júlio disse que eles tem total autonomia para seguir o seu projeto. "A Rede já manifestou muito feliz com a nossa campanha pelo governo de Minas, mas eles tem todo o direito de seguir o caminho deles quando conseguirem regularizar sua situação junto ao TSE. Temos hoje quatro candidatos a deputado pela Rede. Essa foi uma condição estabelecida quando alguns nomes se filiaram ao PSB e nós devemos respeitar", pontuou.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.