Juiz de Fora - MG

Segunda-feira, 17 de agosto de 2015, atualizada às 17h20

Representantes de Juiz de Fora apoiam parceria privada para o Expominas

expominas

Para discutir atual situação do Expominas de Juiz de Fora, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) fez audiência pública nesta segunda-feira, 17 de agosto, na Câmara Municipal, no Parque Halfeld. As autoridades e representantes empresariais defenderam a contratação de uma parceria pública privada (PPP) para substituir a gestão atual, conduzida pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig).

O deputado Antônio Jorge (PPS), autor do pedido para realização da reunião por meio da Comissão de Turismo, Indústria, Comércio e Cooperativismo da ALMG, afirmou que a Codemig está muito longe de Juiz de Fora e questionou se ela tem a visão da realidade regional, necessária para a captação de eventos para o Expominas. "É necessária uma equipe profissional para isso", afirmou o deputado, complementando que a Codemig tem tido uma postura muito passiva. "Nosso Expominas virou um centro de formaturas", criticou também o deputado Isauro Calais (PMN).

"Na mão da Codemig, ele não vai funcionar", afirmou o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Juiz de Fora, Aloísio José Vasconcelos Barbosa. O dirigente lembrou o exemplo do Expominas de Belo Horizonte, que desde 2003 é administrado pela Companhia Mineira de Promoções (Prominas), uma empresa estadual de economia mista. "Ela está nas mãos de uma PPP e funciona perfeitamente", afirmou.

O secretário municipal de Governo de Juiz de Fora, José Sóter de Figuerôa Neto, também defendeu uma parceria público-privada para a gestão do Expominas. "Turismo tem que ser descentralizado", afirmou. O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Geração de Emprego e Renda, André Luiz Zuchi, foi no mesmo sentido. "Não há a menor condição de o estado comandar uma estrutura daquele porte", criticou. Ele afirmou que o número de eventos na cidade tem crescido, de 118 em 2012, para 305 em 2015, até agosto. Mas Zuchi disse que o potencial, com mudanças no Expominas, é maior.

Fiemg critica privatização

Nem todos os participantes da reunião, no entanto, concordaram com as propostas de mudanças. O presidente regional da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) na Zona da Mata, Francisco José Campolina Nogueira, foi duro ao criticar a ideia de privatização. "É loucura querer privatizar ou transferir o Expominas para o município. Quem colocaria os recursos que são necessários para a manutenção de uma estrutura daquele tamanho?", questionou. Ele cobrou mais entendimento entre os governos municipal e estadual e disse que a Codemig tem patrocinado diversos eventos na cidade.

Representante da Codemig em Juiz de Fora, Alex Pereira disse que a companhia já realiza parcerias com o setor privado para a organização de feiras. Ele admitiu que havia falta de um representante da empresa pública em Juiz de Fora, lacuna que teria sido preenchida em junho, com sua designação. Ele disse sentir, no entanto, a "ausência" de entidades de Juiz de Fora para trabalhar junto com a empresa na captação de eventos. "O Expominas, sozinho, não vai captar eventos", afirmou. Alex Pereira citou o exemplo de Teófilo Otoni (Vale do Mucuri), onde a parceria entre governo e instituições locais dinamizou o centro de convenções local.

O deputado Antônio Jorge afirmou que a representação da Codemig em Juiz de Fora, para gerir o Expominas, precisa de uma autonomia que Alex Pereira não tem. Segundo o parlamentar, um dos principais eventos realizados no Expominas, a Minas Láctea, que reuniu o setor do leite e derivados, correu o risco de ser cancelado. "Se não tivesse havido uma mobilização do empresariado local, teria sido cancelado", afirmou.

Francisco Campolina, da Fiemg, disse que a Codemig mostrou uma mobilização nos últimos meses. "No ano passado, foram seis ou sete eventos. Neste ano, há 27 eventos programados até o final do ano", declarou. Ele ressalvou, no entanto, que se a proposta de uma parceria privada for feita ao Governo do Estado, com certeza ele será receptivo.

O deputado Antônio Jorge propôs uma reunião com o governo do Estado para discutir o assunto e disse que uma mudança é necessária. "São dez anos de subutilização. Isso ninguém contesta. Então, é preciso mudar", afirmou. O presidente da Comissão de Turismo, Indústria, Comércio e Cooperativismo da ALMG, deputado Antônio Carlos Arantes (PSDB), cobrou uma nova postura do Governo do Estado. "O governador quer que Juiz de Fora seja problema ou solução para Minas Gerais?", questionou. Ele também defendeu a privatização da gestão do Expominas.

Com informações da ALMG

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.